“Se quiserem tirar o Bernal, vai ser no voto” afirma Paulo Pedra

“Se quiserem tirar o Bernal, vai ser no voto”, é o que afirmou o Secretário de Governo da Prefeitura, Paulo Pedra após o resultado do julgamento que poderia cassar novamente o mandato do prefeito Alcides Bernal (PP).

Após decisão unanime dos desembargadores Tânia Garcia de Freitas Borges, Divoncir Schreiner Maran e Sérgio Fernandes Martins, o embargo feito pela Câmara de Vereadores foi rejeitado e Alcides Bernal permanece no cargo de prefeito.

Foto: Arquivo/ Paulo Francis
Foto: Arquivo/ Paulo Francis

Comemorando, Pedra afirmou que agora acaba a “síndrome da terça-feira”. “Toda terça a Câmara tentava derrubar o prefeito mas, agora, se quiserem tirar o Bernal vai ser no voto”, disse o secretário.

O caso

O TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) julgou na tarde de hoje (1º) os embargos propostos pela Câmara Municipal contra a liminar que deu o cargo de prefeito da Capital de volta para Alcides Bernal (PP). O chefe do Executivo Municipal foi cassado em sessão na Casa de Leis em 12 de março de 2014 e retornou para o cargo por força de uma liminar em 25 de agosto do ano passado.

O embargo foi impetrado pela Câmara Municipal em agosto de 2015, logo após o prefeito ter retornado à administração, já que a liminar suspendeu os efeitos da cassação por improbidade administrativa.

Kerolyn Araújo e Jackson Nogueira 

Comentários

comentários