São Paulo vira jogo incrível no Rio e sai da zona de rebaixamento

Gazeta Esportiva.com

O São Paulo venceu aquele que lá na frente poderá ser lembrado como o marco para a retomada da equipe no Campeonato Brasileiro. Na tarde desse sábado, o Tricolor do Morumbi visitou o Botafogo no estádio Nilton Santos e, depois de sair na frente, levou a virada, desperdiçou um pênalti, viu os donos da casa abrirem ainda mais vantagem e, quando tudo parecia perdido, chegou à vitória com a segunda virada do confronto, graças a três gols de estreantes após os 38 minutos do segundo tempo. No fim, 4 a 3 e muita festa tricolor com o primeiro triunfo longe de seus domínios na competição.

Hernanes fez uma reestreia discreta, mas marcou o gol do 3 a 3 já aos 40 do segundo tempo. Marcos Guilherme, no entanto, foi o nome do jogo. Em sua primeira atuação pelo clube, o meia entrou no segundo tempo e anotou dois gols, inclusive o da vitória, aos 46. Cueva poderia terminar a partida como vilão pelo pênalti desperdiçado em um momento crucial, porém, abriu o placar e foi responsável pela assistência do gol derradeiro.

Os três pontos tiram o São Paulo da zona de rebaixamento, pelo menos de forma provisória. Agora com 19 pontos, o time de Dorival Júnior ocupa momentaneamente a 15ª colocação e precisa secar Avaí, Atlético-PR e Coritiba para não retornar ao Z4 ao fim da 17ª rodada. Já o Glorioso, que viu sua série de sete jogos invicto ser interrompida, perdeu a chance de entrar no G6, estacionou nos 24 pontos e, até o fim da rodada, pode cair de sua 7ª colocação.

Capitão logo na estreia, Hernanes marcou o terceiro gol do SP no Nilton Santos (Foto: Luciano Belford/AGIF/Gazeta Press)

Dono da braçadeira de capitão, Hernanes logo acabou com as dúvidas sobre seu posicionamento em campo. Mais centralizado, o camisa 15 deu liberdade para Cueva flutuar e abrir pelas pontas. Apesar do ganho em criatividade no meio-campo, o São Paulo não conseguiu se impor para cima do Botafogo nos primeiros minutos. Mesmo assim, o confronto em terras cariocas começou apenas morno.

Mas, quando os donos da casa acenavam com uma pressão no ataque, um lance inusitado mudou o panorama da partida. Cueva infiltrou na área em jogada individual. João Paulo tomou a frente do peruano e quis fazer a proteção para Gatito pegar a bola. Os dois botafoguenses, no entanto, bateram cabeça e o camisa 10 do São Paulo ficou com o gol vazio. Aí foi só correr para o abraço.

Os cerca de 2 mil torcedores são-paulinos faziam a festa atrás do gol quando o jogo foi reiniciado e, em menos de um minuto, o Botafogo chegou ao empate. Pimpão dominou na esquerda e rolou para Marcos Vinicius, que bateu por baixo e viu a bola tocar na trave antes de entrar.

Comentários