São Paulo bate recorde, homenageia torcida e vence o Coritiba no Morumbi

Antes de comemorar o aniversário de dez anos anos do Tricampeonato da Libertadores, Tricolor brilha com Pato em jogo com maior público do Campeonato Brasileiro até aqui

Na próxima terça-feira, o São Paulo vai celebrar dez anos da conquista do tricampeonato da Libertadores. Uma data importante, que remete o são-paulino às noites frias de quarta-feira, com Morumbi lotado e o time se impondo contra os adversários. Bom, não há comparação entre aquele esquadrão com a equipe atual, o jogo desta vez foi em um domingo de manhã, mas o torcedor teve motivos para comemorar: com a vitória sobre o Coritiba por 3 a 1, o Tricolor se consolidou como candidato ao título do Campeonato Brasileiro e, de quebra, bateu o recorde de público da competição até o momento.

Jogadores do São Paulo comemoram gol Foto Reginaldo Castro (AFP)
Jogadores do São Paulo comemoram gol Foto Reginaldo Castro (AFP)

Foram 59.612 tricolores presentes no estádio na primeira vez que o São Paulo jogou no novo horário neste ano. Com promoção de ingressos (arquibancada para torcedor comum custava R$ 20), o Tricolor superou o líder Atlético-MG, que levou 55.987 torcedores ao Mineirão na vitória por 1 a 0 sobre o Joinville.

Se é para falar de Libertadores, além do adversário paranaense, os únicos resquícios da competição sul-americana foram o jogo truncado e o sotaque do argentino Ricardo Centurión. O gringo, que a cada jogo cai mais no gosto da torcida, foi decisivo no primeiro tempo, etapa em que o São Paulo construiu o placar.

Com ousadia, técnica e mais coletividade, ele participou das principais jogadas do time, ora auxiliando Luis Fabiano, ora em tabela com Ganso, e marcou dois gols, um impedido, que foi validado, e um em condição legal, anulado. Ele marcou se aproveitando de uma de suas principais características: o bom posicionamento, aos 14 minutos, ao receber passe de Pato. Já aos 39, recebeu de Luis Fabiano e driblou o goleiro, mas o bandeirinha ergueu o braço…

Um pouco de sorte do Coritiba em meio à crise. Ao contrário de seu rival Atlético-PR, que em 2005 disputou a final da Libertadores com o São Paulo, o Coxa caminha para um abismo sem fim e sentiu o gol. Vai ser difícil a equipe de Ney Franco se livrar do rebaixamento, sobretudo se encontrar mais Patos em sua frente. Que fase vive o atacante são-paulino…

Novamente aberto pela esquerda, o camisa 11 de novo deitou e rolou. Já havia criado a jogada do gol de Centurión e aos 45 minutos do primeiro ampliou em bela jogada individual, após receber ótimo passe do zagueiro Lucão. Pato é só alegria, e no segundo tempo teria mais…

O Coxa voltou mais ofensivo, com Negueba no lugar de Rodrigo Ramos. Já no São Paulo, Juan Carlos Osorio trocou Centurión por Matheus Reis e devolveu Michel Bastos ao ataque, já que o meia iniciou o jogo na lateral esquerda. O ritmo continuou, mas com os paranaenses mais ativos, até que marcaram aos 14, com Marco Aurélio, após vacilo da defesa são-paulina e saída errada de Ceni.

Osorio ainda sacou Ganso para a entrada de Boschilia, e viu o camisa 10, após ouvir vaias de parte da torcida, chutar um copo d’água posicionado à beira do gramado antes de sentar no banco.

O jogo ganhou mais equilíbrio, mas faltou força ao Coxa. Força que não tem faltado a Pato. O atacante seguiu infernizando a defesa e foi premiado com outro gol, novamente aos 45 minutos, após bela jogada individual. Festa no Morumbi, e um talento para relembrar os bons tempos de 2005.

O Tricolor ainda ampliou com Luis Fabiano, mas o árbitro encerrou o jogo antes, em lance bizarro. Mas a festa já estava garantida…

FICHA TÉCNICA SÃO PAULO 3 X 1 CORITIBA

Data: 12/7, às 11h
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Árbitro: Alisson Sidnei Furtado (TO)
Assistentes: Alessandro Rocha (BA) e Gilvan Cavalcante (TO)
Público/Renda: 59.612 torcedores / R$ 1.333.055,00
Cartões Amarelos: Luis Fabiano (São Paulo); Leandro Silva, Henrique (Coritiba)
GOLS: Centurión, 14’/1ºT (1-0); Alexandre Pato, 46’/1ºT (2-0); Marcos Aurélio, 14’/2ºT (2-1); Alexandre Pato, 45’/2ºT (3-1)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Thiago Mendes, Rafael Toloi, Lucão e Michel Bastos; Rodrigo Caio, Hudson (João Schmidt – 20’/2ºT) e Ganso (Boschilia – 32’/2ºT); Centurión (Matheus Reis – 10’/2ºT), Alexandre Pato e Luis Fabiano. Técnico: Juan Carlos Osorio.

CORITIBA: Wilson, Rodrigo Ramos (Negueba – intervalo), Luccas Claro, Leandro Silva e Henrique; Fabrício (Ivan – 5’/2ºT), Alan Santos (Esquerdinha – intervalo), Misael, Lúcio Flávio e Galhardo; Marcos Aurélio. Técnico: Ney Franco.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários