São Paulo acorda no segundo tempo, bate CSA e avança na Copa do Brasil

Gazeta Esportiva /JN

Sem grandes sustos, o São Paulo se classificou à terceira fase da Copa do Brasil durante a noite desta quinta-feira. Jogando em Maceió, após um primeiro tempo fraco, o time tricolor voltou mais ligado para a etapa complementar e evitou a disputa por pênaltis ao derrotar o CSA-AL, por 2 a 0, com gols de Nenê e Cueva.

São Paulo bate o CSA em Maceió (Foto: Reprodução )

Com o resultado, a equipe dirigida por Dorival Júnior atingiu o seu quarto triunfo consecutivo sem sofrer gols. Antes, entre Copa do Brasil e Campeonato Paulista, havia superado Madureira (1 a 0), Botafogo-SP (2 a 0) e Bragantino (1 a 0).

Em sua caminhada rumo ao inédito título nacional, o São Paulo enfrentará na terceira fase o vencedor do confronto entre Novo Hamburgo e CRB-AL, que duelam nesta noite no Sul. Diferentemente das fases anteriores, agora os confrontos serão disputados em jogos de ida e volta, que ainda não têm datas definidas.

Antes de se preocupar com a Copa do Brasil, entretanto, o Tricolor terá pela frente o clássico contra o Santos, neste domingo, às 17 horas (de Brasília), pelo Campeonato Paulista. Já o CSA, no mesmo dia e horário, buscará se reabilitar da eliminação diante do Dimensão Saúde, no Rei Pelé, pelo Pernambucano.

O Jogo – Com apoio massivo de sua torcida no Estádio Rei Pelé, o CSA teve a primeira chance da partida. Aos sete minutos, o lateral Talisson abriu espaço pela direita e bateu forte cruzado. A bola passou perto da trave direita de Sidão. Pouco depois, aos 16, outro susto: após cobrança de falta, o volante Dawhan subiu sozinho, mas testou para fora.

Com dificuldades para se infiltrar na defesa do CSA, o Tricolor precisou de um zagueiro para chegar ao ataque. Aos 24 minutos, Cueva levantou na área e Diego Souza fez a ‘casquinha’ para Rodrigo Caio, que dominou e, na marca do pênalti, chutou torto para fora.

Mais intenso em campo, o time da casa respondeu em seguida. Após rápido contra-ataque, o volante Yuri recebeu na direita, abriu e arrematou com força. Sidão, bem colocado, espalmou e evitou o gol dos alagoanos.

No último lance do primeiro tempo, o CSA quase abriu o placar. O meia Daniel Costa arriscou da entrada da área, a bola desviou em Rodrigo Caio e por pouco não enganou Sidão. Presa fácil da marcação alagoana, o São Paulo foi para o intervalo com apenas três finalizações, seis a menos que o rival.

O Tricolor, contudo, voltou mais ligado para a etapa complementar e não demorou para inaugurar o marcador. Aos três minutos, Cueva recebeu na direita e descolou grande passe para Marcos Guilherme, que invadiu a área e cruzou na medida para Nenê, praticamente sem goleiro, tocar para o gol.

Com a vantagem no placar, os comandados de Dorival Júnior passaram a explorar os contra-ataques. Em um deles, Diego Souza saiu na cara do goleiro Mota, que o derrubou dentro da área. Na cobrança do pênalti, Cueva deslocou o arqueiro e deixou o time visitante em situação ainda mais confortável no duelo.

Dorival, então, promoveu a estreia do meia-atacante Valdívia, que entrou no lugar de Nenê. Pouco depois, sacou Cueva e Marcos Guilherme para as entradas de Shaylon e Caíque. O São Paulo, aos gritos de “olé” de sua torcida, não voltou a criar chances de ampliar, mas tampouco correu riscos de passar sufoco no fim da partida.

FICHA TÉCNICA CSA-AL 0 X 2 SÃO PAULO

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 15 de fevereiro de 2018, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Carlos Berkenbrock e Helton Nunes (ambos de SC)
Cartão Amarelo: Leandro Kível, Yuri e Mota (CSA); Éder Militão (São Paulo)
Cartão Vermelho: Yuri (CSA)
Gols:
SÃO PAULO: Nenê, aos três, e Cueva, aos 16 minutos do segundo tempo

CSA-AL: Mota; Talisson, Leandro Souza, Xandão e Rafinha; Dawhan, Yuri, Didira (Yago), Daniel Costa e Giva (Bruno Veiga); Leandro Kível (Michel Douglas)
Técnico: Flávio Araújo

SÃO PAULO: Sidão; Éder Militão, Bruno Alves, Rodrigo Caio e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê (Valdívia); Marcos Guilherme (Caíque), Diego Souza e Cueva (Shaylon)
Técnico: Dorival Júnior

Comentários

comentários