Santos consegue parceiro, e Robinho fica próximo de terceiro retorno

Chamado de “sonho de uma noite de verão” pelo presidente Modesto Roma Júnior, Robinho está próximo de se tornar realidade e voltar ao Santos pela terceira vez na carreira.

Robinho deve voltar ao Alvinegro pela terceira vez na carreira (Foto: Ricardo Saibun / Santos FC)
Robinho deve voltar ao Alvinegro pela terceira vez na carreira (Foto: Ricardo Saibun / Santos FC)

Apesar da exigência do Santos em aceitar pagar apenas R$ 200 mil ao mês, o clube conseguiu um parceiro que topa pagar R$ 5 milhões por ano ao atacante de 31 anos. Em troca, o Rei do Drible será uma espécie de garoto propaganda dessa empresa, como foi da Seara em 2010.

O acordo ainda não está fechado, mas o clube fez uma consulta à representante do jogador, que sinalizou que o ídolo santista aceitaria receber cerca de R$ 600 mil mensais após voltar da China. Sendo assim, Robinho receberá ainda menos do que ganhava em sua última passagem pelo clube, encerrada na metade de 2015.

A camisa 7 do Peixe está reservada propositalmente, pois a diretoria trata a hipótese como real. A princípio, seu contrato seria válido por duas temporadas.

Com negociação encaminhada, Robinho deve dar início à quarta passagem pela Vila Belmiro em 2016. Revelado pelo próprio clube em 2002, o Rei do Drible foi campeão brasileiro duas vezes antes da primeira saída, em 2005. Cinco anos depois, somadas passagens por Real Madrid e Manchester City, voltou ao Peixe para ser campeão paulista e da Copa do Brasil. Em seguida da Copa do Mundo de 2010, foi negociado com o Milan, da Itália, e deixou o Alvinegro.

A terceira passagem ocorreu em 2014, emprestado pelo próprio Milan, clube com o qual tinha apenas mais uma temporada de contrato. No meio do ano de contrato, o ídolo rescindiu com os italianos, mas preferiu não renovar com o Peixe. Ele foi para o Guangzhou Evergrande, da China, onde passou apenas seis meses em um contrato de R$ 6 milhões. Após o Mundial no qual jogou apenas dois dos quatro jogos do Guangzhou, decidiu não permanecer em 2016.

Comentários

comentários