Santa Casa diz que não há privilégios, sobre confusão com deputada

Sobre o caso do filho da deputada Grazielle Machado (PR), que acabou virando ocorrência policial neste domingo (5), a assessoria de imprensa da Santa Casa informou que, no SUS (Sistema Único de Saúde), “o atendimento é igual para todos”.

A parlamentar se envolveu em confusão depois de procurar atendimento para a criança no hospital, parou o carro em uma vaga utilizada pelo Corpo de Bombeiros e viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e não aceitou as solicitações da equipe de segurança para retirar o automóvel do local com o argumento de que seria veículo oficial.

Na sequência, durante a triagem de atendimento, quando já entrava com a criança e uma babá para a consulta médica, o esposo dela, Herlon Zaparoli, teria se exaltado porque teve o acesso bloqueado.

A Santa Casa informa que o atendimento padrão é de apenas um acompanhante por paciente, mas ele tentou burlar a regra. “O rapaz segurou ele, mas as agressões foram mútuas. Ele também levou um soco e já registrou boletim de ocorrência, vai fazer exame de corpo delito”.

Em vídeo, a deputada denuncia suposto excesso da equipe de segurança do hospital. Nas imagens, postadas na rede social Facebook, a parlamentar fala que pretendia registrar quanto tempo vai esperar por atendimento. “Meu marido acabou de ser agredido por seguranças n da Santa Casa. Estou no Pronto Socorro da Santa Casa. O povo sofre e todo os políticos deveriam passar aqui [sic]”, diz.

Procurada pela reportagem, ela informou que está com a criança estaria UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e iria esclarecer os detalhes da denúncia depois. A assessoria da Santa Casa informou que a criança teve uma intoxicação por medicamentos, está sendo atendida e já passa bem.

Comentários

comentários