Samsung é alvo de ação coletiva na Coreia do Sul por Galaxy Note 7

A Samsung se prepara para sofrer um novo abalo em sua reputação, após o anúncio nesta segunda-feira (24) de uma ação coletiva que reuniu centenas de usuários prejudicados pelo fiasco do smartphone Galaxy Note 7.

Um Note 7 aparentemente reparado pegou fogo em um avião da companhia Southwest na quarta-feira (Foto: Brian Green/BBC)
Um Note 7 aparentemente reparado pegou fogo em um avião da companhia Southwest na última quarta-feira (Foto: Brian Green/BBC)

O escritório de advocacia Harvest Law, com sede na Coreia do Sul, iniciou na segunda-feira os trâmites para processar a empresa em representação a 527 usuários do Galaxy Note 7, com pedido de 500 mil wons (US$ 440) para cada um pelo tempo e os esforços consumidos durante o recall do aparelho, que se transformou em um pesadelo para a marca sul-coreana.

Apesar do valor das demandas não representar uma grande quantia para uma empresa como a Samsung, a ação ilustra como o fracasso do Note 7 abalou o prestígio de uma empresa acostumada a ser tratada como uma instituição quase sagrada em seu país natal.

No mês passado, a Samsung anunciou um recall de 2,5 milhões de unidades do modelo Galaxy Note 7, depois de vários incidentes de usuários que denunciaram explosões da bateria.

Quando os aparelhos fornecidos na troca também começaram a registra problemas, a empresa anunciou a suspensão da produção do modelo, uma decisão que vai custar bilhões de dólares e que projeta uma imagem negativa da marca.

O advogado Peter Koh, do Harvest Law, disse que a ação coletiva foi definida graças à crescente irritação dos consumidores. “Até agora eram quase 100 pessoas assinando a cada dia e somente ontem se uniram mais de 300 usuários”, afirmou Koh, que espera reunir 3 mil assinaturas em uma segunda instância.

Segundo especialistas do ramo, a Samsung fez o pior recall da história e inicialmente teve um prejuízo de 17 bilhões de reais.

Comentários

comentários