Salineiro reclama de tarifa alta e pede revisão de concessão do transporte coletivo

Da Redação/JN

Ao votar a favor da isenção do ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) para o consórcio Guaicurus, o vereador André Salineiro pediu que o contrato da empresa com a Prefeitura seja revisto, porque a tarifa é muito alta e a concessionária tem previsão de lucrar R$ 3,2 bilhões, ao longo de 20 anos.

Para impedir que a tarifa aumente ainda mais para a população, todos os vereadores decidiram pela isenção do imposto para a concessionária pelos próximos seis meses, depois de conversa com o prefeito Marquinhos Trad, que queria o fim da isenção. O prefeito esteve em reunião com os vereadores na Câmara antes da sessão, nesta quinta-feira, dia 30.

“Serão seis meses de isenção para que isso não seja desculpa para a concessionária aumentar a tarifa, mas pedi à Câmara que solicite cópia desse contrato e ele seja revisto pela Prefeitura, pois não está sendo bom para a população”, disse o vereador.

Salineiro lembrou que a tarifa de ônibus em Campo Grande é uma das mais altas entre as Capitais do país e os serviços são alvo de reclamações constantes por parte dos usuários e já foi investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) em função de irregularidades. “Em março de 2016, fiscais da Agetran (Agência Municipal de Transporte) verificaram que havia marcas de goteiras, teto furado, banco rasgado, a pintura estava estragada e adesivos estavam rasgados em ônibus que circulavam pela Capital”, reclamou o vereador.

Comentários