'Sai zica!' Inspirado por Zito, Santos derrota o Corinthians e respira no Brasileirão

Em dia de homenagens ao ídolo que ajudou a construir tabu de 11 anos na década de 60, Ricardo Oliveira marca no primeiro tempo e interrompe série negativa, tirando rival da capital do G4

O Santos estava há seis jogos sem vencer, quase trocou de técnico (que está suspenso), vive uma crise política sem precedentes e entrou no clássico deste sábado com dez desfalques, inclusive do astro Robinho, na Seleção Brasileira, e o meia Lucas Lima, suspenso e prestes a ser negociado com o futebol europeu. Maus sinais que uma faixa estendida nas arquibancadas deixava evidentes: “Sai zica!”. Mas com um golaço marcado por Ricardo Oliveira, o novo artilheiro do Brasileirão, o Peixe tirou a zica e venceu o rival Corinthians por 1 a 0 em dia repleto de homenagens ao ídolo Zito, que morreu na semana passada.

Foto Lancepress!
Ricardo Oliveira comemora o gol do Peixe Foto Lancepress!

Zito foi jogador do Santos entre 1952 e 1968, e em 11 anos daquele período o Santos construiu um importante tabu contra o Corinthians, o maior da história deste clássico que é um dos mais representativos do Estado. Com o busto do “Grande Capitão” estampado na camisa, o Santos honrou os anos de ouro e conseguiu uma vitória valiosa, que fecha a sequência ruim e o tira da zona de rebaixamento do Brasileirão.

Já o Corinthians vê sua reação, que já tinha dois resultados positivos em sequência no Brasileirão, interrompida. A equipe, agora fora do G4, volta a jogar no sábado, às 21h, contra o Figueirense, na Arena de Itaquera. O Santos entra em campo domingo, às 18h30, contra o Internacional, no Beira-Rio.

O primeiro tempo na Vila Belmiro foi de domínio quase completo do Santos, que se aproveitou da ineficência ofensiva do Corinthians para segurar a bola no meio-campo e criar. Assim, as oportunidades começaram a nascer: com Rafael Longuine, em cobrança de falta, com Marquinhos Gabriel, em infiltração pela esquerda… O trio alternativo de meias do Santos, aliás, foi um destaque à parte no clássico, com atuação segura também de Lucas Otávio, o homem que atuou na posição eternizada por Zito, à frente da zaga.

Até que aos nove minutos a criatividade se converteu em gol. Depois de uma saída de bola defeituosa da defesa do Corinthians, David Braz recebeu no campo santista e tocou curto para Rafael Longuine. Com visão de jogo e fundamentos apurados, o camisa 17 lançou Ricardo Oliveira. Na velocidade, o camisa 9 ganhou de Edu Dracena e bateu quase sem ângulo. Foi o quinto gol do agora artilheiro isolado do Brasileirão. O gol do fim da zica! Do mesmo modo que a geração de Zito, Pelé e companhia, a vitória deste sábado valia ouro.

Depois do gol, o Santos baixou o ritmo, mas o Corinthians não aproveitou. Confuso taticamente, com inversões de posicionamento constantes e pouco úteis, o visitante não aproveitou as brechas de David Braz, Werley e especialmente Victor Ferraz, que não estava nos melhores dias. Do mesmo modo que Jadson, Petros e Vagner Love – este último, particularmente, sem qualquer inspiração.

O segundo tempo foi mais aberto. O Santos consciente da necessidade de segurar o resultado que valia ouro, mas vacinado pelos três jogos seguidos em que esteve em vantagem e deixou escapar. Já o Corinthians, mais arrumado para criar chances ofensivas, tentando aproveitar os erros do adversário. Vladimir trabalhou, Cássio trabalhou, Luciano teve chance, Neto Berola teve chance, Gabigol teve gol anulado, Marquinhos Gabriel fraquejou na frente da área, Mendoza foi bloqueado no último passe, Danilo entrou para dar mais força ofensiva e até Edílson acertou a trave do Santos…

Um bom jogo que ganhou novos contornos com a expulsão justa de Rafael Longuine aos 24 minutos. Aí foi ataque dos visitantes contra defesa dos donos da casa. Mas isso durou só cinco minutos, até Fagner interromper contra-ataque com falta e também levar o vermelho.

Vermelho, aliás, que o Santos viu dourado. Novamente em igualdade numérica, o equipe segurou a vitória em casa como deu. Chegou a levar duas bolas na trave e passar sufoco. E agora respira. Mesmo que seja na camisa dos jogadores e na lembrança da fanática torcida, Zito venceu o Corinthians mais uma vez.

O Peixe volta a campo no próximo domingo, quando enfrenta o Internacional, às 18h30, no Beira-Rio. Já o Corinthians entrará em campo um dia antes, às 21h, diante do Figueirense, em Itaquera.

FICHA TÉCNICA SANTOS 1 x 0 CORINTHIANS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 20/6/2015 – 16h30
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo (SP) e Daniel Ziolli (PR)
Renda/Público: R$ 255.965,00/7.674 pagantes
Cartões Amarelos: Daniel Guedes, Vladimir, Geuvânio, Rafael Longuine e Neto Berola (SAN); Ralf, Fagner, Uendel e Luciano (COR)
Cartões vermelhos: Rafael Longuine (24’/2ºT) e Fagner (28’/2ºT)

GOL: Ricardo Oliveira, 9’/1ºT (1-0)

SANTOS: Vladimir; Daniel Guedes, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Rafael Longuine e Marquinhos Gabriel (Thiago Maia, 27’/2ºT); Gabriel (Neto Berola, 16’/2ºT), Geuvânio (Leandrinho, 34’/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Serginho Chulapa.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Gil, Edu Dracena (Danilo, 27’/2ºT) e Uendel; Ralf, Petros (Luciano, 12’/2ºT), Jadson e Renato Augusto; Mendoza (Edílson, 32’/2ºT) e Vagner Love. Técnico: Tite.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários