Rose diz estar preparada e com ficha limpa para ser candidata do PSDB à prefeitura da Capital

Rose
Rose falou com candidata após outros discursos (Fotos: Lúcio Borges)

O discurso da vice-governadora Rose Modesto (PSDB), ao assumir sua pré-candidatura à prefeitura de Campo Grande, anunciada na noite desta quinta-feira (28) como a escolhida pelo partido, pontuou dois principais temas pessoais para ir à disputa do Paço Municipal, nas eleições 2016. A agora representante tucana para o pleito eleitoral, diz estar preparada para a campanha e a administrar a Capital, tendo ficha limpa que é conduta desde que iniciou a vida política há 20 anos e serão sempre, não sendo maculada com nenhum tipo de menção a qualquer erro, problemas ou crimes. Rose frisou que o desafio é imenso, mas chegou à hora de uma nova política, um novo tempo e uma nova forma de olhar as pessoas, como já vem sendo feito no Mato Grosso do Sul, pelo governador Reinaldo Azambuja. Ele também discursou e exaltou a ‘Ficha Limpa” da corregilionária.

Os 20 anos de militância e participação política em Campo Grande, passando pela área de Educação, com movimentos sócio-políticos escolares e sindical, ‘evoluindo’ para os cargos como o de vereadora da Capital, vice-governadora e secretária de Estado. Toda essa atuação faz com que Rose acredite ter boas condições para ocupar o cargo de prefeita da Capital a partir de 2017.

“Nesse momento, eu me sinto extremamente motivada e com vontade de caminhar essa cidade, onde eu comecei há 20 anos. Eu tenho 38, e com 18 eu comecei a participar dos projetos políticos, andando os bairros, batendo palma casa por casa para apresentar projetos, dizendo à população que é possível mudar e a política é o melhor instrumento para isso se tiver na mão de pessoas de bem. Sinto-me extremamente preparada para função, levando em conta ainda que nunca respondi um processo, nunca fui acusada por nenhum crime. Tenho, estou e ficarei com meu nome limpo e bem motivada para trabalhar, sem se preocupar com essas coisas. E com o apoio de toda militância, vamos apresentar de fato uma nova política, um novo tempo e nova forma de olhar para as pessoas, como a gente já tem feito no Governo do Estado”, diz Rose.

Rose chegando no diretório teve dificuldade de andar por causa da lotação (Foto: Lúcio Borges)
Rose chegando no diretório teve dificuldade de andar por causa da lotação (Foto: Lúcio Borges)

No discurso, Rose Modesto fez o retrospecto de sua vida política, que começou à duas décadas, bem como lembrou de suas vitórias eleitorais e experiências adquiridas e desenvolvidas. “Com 18 anos já tínhamos algum gosto pela participação sócio-politica, tivemos a oportunidade e fomos à rua pela candidatura daquele garoto Rinaldo -seu irmão e deputado estadual-, mostrando que podíamos fazer e ter boas pessoas na política e que dependia de nós também. Continuamos a fazer a diferença, buscamos levar mais gente para representatividade na área da Educação e outras, chegando a honra de se fazer representar, em 2008, eleita com 7.500 votos e em 2012, reeleita com mais de 11 mil. Depois a honra e missão da governadoria. Todos esses anos e missão nos fez crescer e amadurecer ainda mais. E agora, se preparando para essa nova missão política desde o ano passado, quando meu nome começou a ser lembrado como possível candidata”, resumiu.

Rumo à prefeitura em batalha e mudança

RosesA escolha de Rose teve a chancela do governador Reinaldo Azambuja, que também afirma ver nela todas as qualidades necessárias para a execução de um bom mandato. “Ela tem planejamento, é uma pessoa ficha limpa e conhece os problemas da Capital. Vai saber montar uma equipe de trabalho para atacar esses problemas e não tenham dúvida que vamos para a campanha com todo o partido unido”, disse o chefe do Executivo.

 

A pré-candidata tucana comentou saber que a campanha será uma batalha dura, mas que sua equipe está ‘pronta para a guerra’. Além disso, ela falou sobre o atual momento social do Brasil e de Campo Grande, que necessita de mudança. “Vivemos um momento muito difícil. O cenário nacional é um dos piores dos últimos anos com a crise política, econômica e ética, o povo brasileiro desanimado, com medo e sem esperança. Não é diferente em Campo Grande e talvez a situação seja pior. Aqui tivemos a tristeza de ter uma má gestão e por isso precisamos de mudanças aqui”, enfatizou.

Rose disse saber o tamanho da responsabilidade assumida ao ser indicada pelo PSDB. “Agradeço a confiança do partido, do governador. Não é fácil para um partido como o nosso, que acredita na boa política, na ética, na democracia, ungir alguém e falar ‘é você que é o escolhido’. Me sinto extremamente honrada e sei do tamanho da minha responsabilidade a partir de agora”, completa.

Rose, que fez seu trabalho sócio-político com atuação nas áreas da educação e social, afirma ainda que ao longo do tempo vem se preparando para implantar uma gestão moderna para Campo Grande, por consequência de sua vida política desde jovem e com os mandatos de vereadora, que exerceu um por inteiro (2009-2012) e metade do segundo (2013-2014), do qual saiu para se tornar vice-governadora de MS e secretaria de Estado (2015-2016).

Como secretária estadual, Rose implantou projetos voltados para a população carente, sendo o mais amplo, a Rede Solidária, implantado no bairro Dom Antonio em novembro do ano passado. Com a participação do terceiro setor e de empresas, que ela exalta para uma administração, a Rede atende a população em situação de vulnerabilidade, com ações nas áreas de educação, Cultura e Esporte, Escola da Família, Saúde e Prevenção, Segurança Cidadã, Voluntariado, Horta Orgânica e Trabalho e Renda.

Comentários

comentários