Rose deixa o cargo de secretária para ser candidata a prefeita

O caminho da vice-governadora Rose Modesto (PSDB), rumo à candidatura a prefeitura de Campo Grande, está praticamente pavimentado e decisão, mesmo que ainda não ratificada oficialmente, será fechada nesta sexta-feira, 1º de abril, com sua saída como titular da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), cargo que acumula desde o início da gestão de Reinaldo Azambuja no governo estadual. Rose é apontada como o principal e quase unânime nome tucano para disputar a Prefeitura da Capital nas eleições de outubro.

Rose Modesto esteve no dia Internacional da Mulher no programa Tribuna Livre e já manifestava a vontade de se candidatar
Rose Modesto esteve no dia Internacional da Mulher no programa Tribuna Livre e já manifestava a vontade de se candidatar

Apesar de não admitir concretamente, o anúncio foi feito na manhã desta terça (29) pelo deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB), líder do Executivo na Assembleia Legislativa, e irmão da futura candidata. O parlamentar apontou que apesar de Rose no último mês admitir ser candidata, ela ainda não é a escolha definida pela sigla. Mas tem que “garantir” ou se resguardar, para definição futura de candidatura própria do partido, diante a Lei eleitoral. que determina afastamento seis meses antes da eleição, a quem tem cargos de ordenador de despesas em algum poder público.

“Quem quer concorrer tem que sair esta semana, até o dia 2. Pela legislação eleitoral, ela precisa deixar seis meses antes do pleito, o cargo de secretária de Estado, onde tem função de ordenadora de despesas. Isto não quer dizer que foi escolhida, mas é um passo de decisão dela que a leva para o posto. Como pode ser a decisão também dos outros dois nomes – Eduardo Ridel e Carlos Assis – que são possíveis candidatos e também secretários. Se eles ou algum deles não sair é porque não concorreram. O que se define hoje, ela já marcou sua posição”, disse Rinaldo.

Rinaldo falou ao ser questionado sobre o tema e quanto as pesquisas internas do partido sobre a disputa ao Executivo municipal, e não ratificou, mas deu pistas que Rose tem uma dianteira, mas ainda não é certeza de assumir. “O que sabemos e temos como certo é da candidatura nossa. Tanto pelo momento de governo do PSDB, quanto à orientação da cúpula nacional, é para que as capitais de todo o País tenham candidaturas próprias para prefeitura, ou seja, Campo Grande deve cumprir à risca essa orientação e confirmar até março o nome daquele que disputará a sucessão municipal”, comentou entre linhas o deputado-irmão.

Lúcio Borges

Comentários

comentários