Ronaldinho Gaúcho e irmão são soltos pela Justiça do Paraguai e podem retornar ao Brasil

G1/JP

Ronaldinho Gaúcho e irmão Roberto Assis participaram de audiência, nesta segunda-feira (24), em Assunção (Foto: Tv Justicia Paraguay/Reprodução)

O ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e o irmão, Roberto de Assis, foram libertados da prisão domiciliar no Paraguai, na tarde desta segunda-feira (24), segundo o juiz Gustavo Amarilla, em audiência preliminar, em Assunção. Os dois estavam detidos preventivamente há mais de cinco meses após entrarem no país com documentos paraguaios adulterados.

A audiência foi marcada após o Ministério Público do país concluir as investigações sem provas de que eles estariam envolvidos com lavagem de dinheiro e a produção dos documentos falsos. O pedido da suspensão condicional do processo foi feita ao judiciário no dia 7 de agosto.

Como a Justiça acatou o pedido do Ministério Público, após o prazo legal, o processo será arquivado.

Conforme o advogado de defesa, a investigação do Ministério Público não encontrou nenhuma prova relacionada aos crimes que a promotoria suspeitava, como lavagem de dinheiro e associação criminosa. A defesa destacou que os dois foram presos de forma injusta, ilegal e abusiva.