Roger brilha de novo, Glorioso Botafogo mata Galo e vai às semifinais

Da Redação com Gazeta Esportiva

O Botafogo é o primeiro semifinalista da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o Glorioso recebeu o Atlético-MG, no estádio Nilton Santos e venceu por 3 a 0, com gols de Joel Carli, Roger e Gilson.

Bota mete 3 a 0 no Atlético-MG (Foto: Gazeta Press)

O Alvinegro carioca fez um grande primeiro tempo quando saiu vencendo por dois gols de diferença e soube aguentar a forte pressão da equipe mineira no segundo tempo. No final, quando o Galo buscava seu gol de forma desesperada, o time de General Severiano marcou o terceiro para sacramentar a vaga e provocar o início da festa da torcida.

Os gols do Botafogo foram marcados por Joel Carli, Roger e Gilson. Agora, o Botafogo vai enfrentar o vencedor de Santos x Flamengo. Antes da partida, a torcida botafoguense homenageou o ex-goleiro Max que teve morte cerebral decretada nesta quarta-feira.

O jogo

Apoiado pela torcida, o Botafogo tomou a iniciativa de ataque desde o primeiro minuto, mas o Atlético não se mostrava disposto a esperar o adversário em seu próprio campo. Aos quatro minutos, Rodrigo Pimpão foi lançado nas costas de Marcos Rocha e o cruzamento para Roger foi desviado para escanteio.

Aos cinco minutos, o Botafogo marcou o primeiro gol. Após cobrança de escanteio, Bruno Silva desviou e o zagueiro Joel Carli empurrou para o gol. O time carioca seguiu na pressão e quase ampliou aos sete minutos. Roger fez boa jogada e lançou Rodrigo Pimpão na corrida, mas o atacante acabou perdendo a passada e foi desarmado por Bremer.

Depois de sofrer o gol, o Atlético tentou controlar os nervos para tentar equilibrar a partida. Aos 13 min utos, após bola mal rebatida pela zaga carioca, Elias tentou encobrir o goleiro Jéfferson e a bola subiu demais. Aos 16 minutos, Marcos Rocha obrigou Jefferson a fazer a primeira defesa difícil.

O time dirigido por Jair Ventura tentava administrar o resultado, tornando o ritmo de jogo mais lento para impedir que o Galo utilizasse a velocidade para chegar ao ataque.

Aos 29 minutos, Emerson Santos investiu pela direita e cruzou fechado para a entrada dos atacantes, mas o goleiro Vítor saiu na hora certa e fez a defesa antes que os cariocas chegassem na bola. Aos 35 minutos, O goleiro Vítor errou a devolução e Roger tentou chutar da intermediária, mas Iago bloqueou o chute e o goleiro mineiro teve a defesa facilitada.

Três minutos depois, o Botafogo trocou passes de um lado para outro, até que Rodrigo Pimpão rolou para o chute forte de Victor Luís, mas a bola encobriu o travessão.

A resposta do Galo veio em chute cruzado de Cazares que bateu cruzado para boa defesa de Jéfferson. Aos 41 minutos, o Botafogo ampliou. João Paulo driblou Luan e cruzou para a cabeçada certeira de Roger que colocou no canto esquerdo de Vitor. O Botafogo seguia melhor em campo e, aos 44 minutos, Pimpão recebeu na entrada da área e tentou o ângulo esquerdo, mas a bola saiu.

O Atlético voltou modificado para o segundo tempo com a entrada de Rafael Carioca e Rafael Moura nas vagas de Iago e Robinho. O atacante esteve muito apagado na etapa inicial e provocou várias reclamações do técnico Rogério Micale.

O Galo voltou mais agressivo e, aos três minutos, após boa jogada de Luan, Cazares concluiu, mas a bola saiu. Logo depois, Fábio Santos cruzou e a zaga alvinegra desviou para escanteio.

Aos sete minutos, Roger fez ótima jogada pelo meio e lançou Rodrigo Pimpão. O atacante chutou forte, mas Gabriel desviou para escanteio, evitando o terceiro gol. A torcida reconheceu o bom futebol desenvolvido por Roger e gritou o nome do jogador.

Apesar das mudanças, o Atlético seguia encontrando dificuldades para penetrar na defesa da equipe carioca. Cazares era o que mais se movimentava dentro de campo, tentando encontrar espaços na bem armada defesa da equipe de General Severiano.

Aos 20 minutos, Marcos Rocha fez lançamento longo para Cazares, que ganhou na velocidade de Victor Luis e tentou encobrir o goleiro Jéfferson que saiu da área para desviar de cabeça e salvar o Botafogo. Logo depois, Emerson deu um susto na torcida botafoguense ao atrasar errado e criar um grande problema para Jéfferson. Logo depois, o Galo perdeu uma grande chance quando Rafael Moura se antecipou e tirou a bola de Luan que entrava livre na pequena área.

O Galo melhorou muito e ameaçava em busca do gol que lhe daria a classificação. O venezuelano Otero entrou para dar mais força pelo lado direito do ataque mineiro. O Botafogo não tinha a força do primeiro tempo e se limitava a tentar garantir o resultado. O técnico Jair Ventura trocou o atacante pelo lateral esquerdo Gilson.

A pressão do time mineiro aumentou Aos 39 minutos, Cazares arrancou pela esquerda e tentou lançar Rafael Moura, mas a bola bateu no atacante e saiu. Acuado em seu campo,o time carioca se limitava a dar chutões para frente, permitindo que o Galo continuasse a pressionar no campo adversário.

Aos 44 minutos, o Botafogo marcou o terceiro gol. Uma jogada de contra-ataque pegou o Galo no campo adversário. Após saída rápida, a bola ficou com Bruno Silva que lançou para Gilson que chutou cruzado para marcar o terceiro gol e selar a classificação do Botafogo.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-RJ 3 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 26 de julho de 2017 (Quarta-feira)
Horário: 19h30(de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP)
Público: 24.276 pagantes

Cartões Amarelos: Joel Carli (Bota); Adilson(Atl)
Gols:
BOTAFOGO: Joel Carli, aos cinco minutos e Roger, aos 41 minutos do primeiro tempo; Gilson, aos 44 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Jéfferson, Emerson Santos, Joel Carli, Igor Rabello e Víctor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Matheus Fernandes e João Paulo(Leandrinho) ; Rodrigo Pimpão(Guilherme) e Roger(Gilson)
Técnico: Jair Ventura

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Gabriel, Bremer e Fábio Santos; Iago(Rafael Carioca), Adilson, Elias, Cazares e Luan(Otero) ; Robinho(Rafael Moura)
Técnico: Rogério Micale

 

Comentários