River Plate e Boca Juniors se enfrentam pela Libertadores e prometem ‘parar’ Buenos Aires

Agência EFE

River venceu a final em Madri por 3 a 1 na prorrogação (Sergio Perez/Reuters)

Buenos Aires vai parar novamente. Os eternos rivais River Plate e Boca Juniors, que decidiram a edição passada da Copa Libertadores, com direito a uma final decidida em Madri, na Espanha, devido a violência de torcedores, se reencontrarão a partir desta terça-feira, 1º de outubro, no estádio Monumental de Núñez, pela semifinal do torneio. O Superclássico argentino será transmitido em TV fechada, pelo SporTV!.

Os gigantes argentinos definirão quem será o adversário de Grêmio ou Flamengo, que começarão a duelar nesta quarta-feira, em Porto Alegre, na outra semifinal da competição continental. Pela primeira vez na história, a final será jogada em jogo único, em Santiago, do Chile, em 23 de novembro.

No ano passado, a Libertadores ainda tinha final em duas partida. A primeira terminou empatada em 2 a 2, em La Bombonera. No Monumental de Núñez, no entanto, a bola não rolou, depois que o ônibus do Boca foi apedrejado na entrada do estádio.

Com isso, depois de semanas de indefinição, a Conmebol decidiu que a volta acontecesse em campo neutro e determinou o estádio Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, como palco. Após empate em 1 a 1 no tempo normal, o River anotou dois gols na prorrogação e ergueu a taça pela quarta fez na história, ficando a dois títulos de igualar o Boca, e a um do Independiente, maior campeão.

Pela Libertadores, os dois times de Buenos Aires já se enfrentaram 26 vezes, com dez vitórias ‘xeneizes’, oito ‘millonarias’, além de oito empates. Em fases eliminatórias, os arquirrivais disputaram oito partidas, em quatro séries, com duas classificações para cada.

Para o jogo desta terça-feira, o técnico Marcelo Gallardo poderá contar com o meia uruguaio Nicolás De la Cruz e o atacante Lucas Pratto, ambos recuperados de lesão. Eles, no entanto, deverão iniciar o jogo no banco de reservas.  No ataque, o uruguaio Matías Suárez e o colombiano Rafael Santos Borré surgem como favoritos a começar jogando, mas Ignacio Scocco corre por fora, principalmente depois da boa atuação na vitória sobre o Gimnasia La Plata, pelo Campeonato Argentino.

O Boca Juniors, por sua vez, não garantiu a escalação do atacante Ramón Ábila, que se recuperou de lesão e atuou por 45 minutos no empate com o Newell’s Old Boys, no fim de semana, e, portanto, tem chances de ser escalado como titular por Gustavo Alfaro.

O meia-atacante Eduardo Salvio, um dos mais badalados reforços do Boca para a temporada, treinou separado do grupo nos últimos dias, devido a problemas físicos, mas foi relacionado. O brasileiro Raphael Claus será o árbitro da partida. O reencontro entre os dois mais populares times da Argentina está previsto para acontecer no dia 22 de outubro, em La Bombonera.

Prováveis escalações:

River Plate: Armani; Montiel, Martínez Quarta, Pinola e Casco; Pérez, Fernández, Palacios e De la Cruz; Suárez e Santos Borré. Técnico: Marcelo Gallardo.

Boca Juniors: Andrada; Weigandt, López, Izquierdoz e Más; Marcone, Capaldo e Mac Allister; Villa, Zárate e Ábila. Técnico: Gustavo Alfaro.

Árbitro: Raphael Claus, que será auxiliado por Danilo Manis e Bruno Pires.

Estádio: Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina).

Comentários