Reviva Centro: acordo para implantação será assinado dia 12

Da Redação/JN

Em menos de seis meses de gestão, o prefeito Marquinhos Trad e sua equipe técnica conseguiram destravar o projeto do Reviva Centro, que foi apresentado ao Governo Federal em 2013. Agora, o contrato de financiamento entre a Prefeitura de Campo Grande e o Banco Interamericano de Desenvolvimento será concretizado em ato solene em Brasília, no dia 12 de maio.

Técnicos do BID estarão no Brasil para firmar o contrato; projeto foi apresentado em 2008, mas só agora deverá sair do papel

O projeto prevê mudanças estruturais na área central, que vão trazer mais conforto e modernidade aos comerciantes e moradores da região. Embutimento da fiação, ampliação de calçadas, criações de áreas de lazer e reordenamento do trânsito no entorno da Rua 14 de Julho são algumas das melhorias previstas.

“É mais um projeto antigo que conseguimos destravar e garantir desenvolvimento para Campo Grande. Nossa equipe está empenhada e priorizando investimentos que melhorem a vida da população. Vamos garantir acessibilidade e deixar o ambiente agradável, atendendo a população que vai ao Centro e aos empresários, que reclamam de abandono”, declarou o prefeito Marquinhos Trad.

Segundo a diretora-executiva de Planejamento e Gestão Estratégica, Catiana Sabadin, a prefeitura vai fazer uma requalificação de acessibilidade, de paisagismo, de imobiliário urbano. “Ali no Horto Floreatal, Mercadão e Morada dos Baís vai ter uma requalificação. Vamos dar tratamento de calçada, de iluminação, acessibilidade, de mobiliário urbano. Tentar melhorar a circulação na região do Camelódromo”, detalhou.

As ações visam promover a requalificação urbana, incentivando a ocupação dos terrenos e edificações, mediante a melhoria da infraestrutura e dos espaços públicos; da eficiência do sistema de transporte coletivo e da acessibilidade; fortalecendo a capacidade de planejamento e mobilidade urbana.

“A ideia é a gente trabalhar a acessibilidade, padronizar mobiliário, tentar reduzir a questão de degraus, porque cada um executa a calçada de um jeito diferente. Isso é um problema. Tem muita gente que vai ali e acaba deixando o carro e voltando. Não tem um circuito que seja caminhável. A gente quer trabalhar um projeto para tornar aquele ambiente mais agradável, para as pessoas ficarem mais tempo no Centro, conviver”, complementa.

O programa contempla US$ 56 milhões de financiamento BID e US$ 56 milhões de contrapartida da prefeitura. A realização de todo o projeto do Reviva Centro vai levar cerca de 5 anos.

Comentários