Revitalização da Avenida Euler de Azevedo começa a tomar forma

Governo do Estado investiu R$14,7 milhões e 90% das obras de drenagem estão concluídas
Aos poucos, a Avenida Euler de Azevedo vai tomando nova forma. (Fotos: Moisés Silva/Divulgação)

As obras de readequação, revitalização e duplicação da Avenida Euler de Azevedo, prolongamento da Avenida Dom Antônio Barbosa, em Campo Grande, começam a tomar forma. As intervenções no local iniciaram em julho de 2016 e devem ficar prontas em julho deste ano.

O Governo do Estado investiu R$ 14,7 milhões e até o momento, já foram concluídas 90% da execução das obras de drenagem, dispositivos de coleta, direcionamento e escoamento de águas pluviais e dos córregos Olho D’água e Imbirussu. Nas próximas semanas, após o cessar das chuvas, terão início as modificações no pavimento da avenida. Nas próximas semanas, após o cessar das chuvas, terão início as modificações no pavimento da avenida.

Obras revitalização da Avenida Euler de Azevedo, prolongamento da Dom Antônio Barbosa, foram lançadas em julho de 2016 e devem ficar prontas em julho deste ano.

A revitalização contempla 4,5 quilômetros da via. Para dar celeridade ao serviço, a obra foi dividida em dois lotes: urbano e rural. O primeiro começa na rotatória da Euler de Azevedo com a Avenida Presidente Vargas e segue até a sede do Detran/MS, em um total de 2,5 km. O segundo tem início no Departamento de Trânsito e término no anel viário, entroncamento com a MS-080, com 2 km. As obras são executadas por duas empresas diferentes, contratadas por meio de licitação.

Finalização da drenagem e início da duplicação

Parte da galeria de escoamento de água instalada próximo ao Tênis Club. A obra de drenagem só será finalizada após interdição da avenida, que deve ocorrer após o fim das chuvas.

Para finalizar a etapa de drenagem de águas (10% faltante) e inciar a revitalização e duplicação do asfalto, as empresas precisam fazer a travessia do Córrego Imbirussu, no lote urbano, e terminar de enterrar uma pequena parte de tubulação no lote rural. Os trabalhos devem ser iniciados quando o solo secar, o que deve acontecer com o fim do período chuvoso.

Nesse ponto da obra, o tráfego de veículos pela avenida deve ser interditado próximo ao Tênis Clube por, no mínimo, 30 dias, conforme estimativa da fiscalização da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra). Os técnicos do Governo do Estado estão em contato com a Agência Municipal de Transporte e Trânsito de Campo Grande (Agetran) para, juntos, traçarem uma rota alternativa de desvio, diminuindo assim os transtornos aos cidadãos que transitam pela região.

Enquanto a pavimentação aguarda para ser executada no lote urbano, na área rural da obra 1,3 quilômetro já está  apto para receber o pavimento. Porém, mais uma vez, as empresas esperam as condições climáticas mudarem para começar a execução.  “Nós temos tido muitos cuidados técnicos com essa obra para que ela não dê problemas no futuro. O prazo para entrega está mantido e a obra está dentro da programação”, afirmou o secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli.

Segundo o fiscal da secretaria, Raimundo Nonato, o asfalto da Avenida Euler de Azevedo tem cerca de 30 anos, por isso o trabalho de revitalização e duplicação no pavimento deve ser minucioso e detalhista, tudo para que a obra não seja danificada depois de inaugurada.

Comentários