Retorno de Rodrigo Cascca é prioridade no Águia Negra

Da Redação

O campeão Águia Negra vai ter uma temporada cheia em 2020. O titulo estadual classificou o clube para competições nacionais, como a Série D do Campeonato Brasileiro e, principalmente da Copa do Brasil, competição que dá, na primeira fase, cota de R$ 500 mil para participantes que não estão bem posicionados no Ranking Nacional de Clubes, caso dos sul-mato-grossenses.

Rodrigo Cascca pode retornar à Rio Brilhante após passagem pelo Foz-PR (Foto: Franz Mendes).

O planejamento para a próxima temporada, inclusive, depende desse valor que virá completo, já que, ao contrário de outros clubes em anos anteriores, não foi solicitado adiantamento.

De acordo com o presidente Iliê Vidal, a única certeza por enquanto é a sequência de Virgílio Ferreira no clube, agora em nova função. Depois de ser preparador físico, auxiliar técnico e treinador em 2018, Virgílio vai ser o gerente de futebol na próxima temporada.

O próximo passo é a busca pelo técnico e o retorno de Rodrigo Cascca é prioridade no Águia. O campeão de 2019 comandou o Foz-PR em parte da primeira fase da Série D do Brasileiro e deixou o clube paranaense após a competição nacional.

Procurá-lo antes de qualquer outro nome é, segundo Iliê, uma questão de justiça. “A intenção é manter o que deu certo. O Cascca foi campeão e vamos buscar negociar primeiro com ele. Se não der certo o acerto, vamos ver uma nova opção. Depois disso o técnico deve indicar o preparador físico, treinador de goleiros e demais integrantes da Comissão Técnica”, explica.

Recíproca

Se depender do treinador, o acordo não será difícil. Em Indaial, cidade catarinense em que reside, Cascca disse que tem conversado com alguns clubes, mas assim como ele é prioridade para o Águia, a recíproca seria verdadeira. “Se o convite se confirmar quero primeiro ouvir o Iliê, com certeza. E tomar a decisão que será melhor para todos”, afirmou.

Sobre a montagem do elenco, o presidente disse que alguns atletas começaram a ser procurados, mas a situação financeira, mais uma vez, será primordial para o acerto. “Com o dinheiro que chegará da Copa do Brasil, alguns jogadores pensam que o Águia vai pagar um caminhão de dinheiro, e a realidade não é essa. Temos dívidas para serem quitadas e depois programar nossos gastos”, explica.

Ele fala de contas que se arrastam desde 2016, quando o clube fez uma parceria mal sucedida com empresários. “Eles não cumpriram o que foi acertado e ficamos com várias dívidas, estamos passando por situações de aperto financeiro, o que deverá ser equacionado com o dinheiro da Copa do Brasil”, disse.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui