Renata Banhara fala sobre tentativa de suicídio e agressões do ex

Redação/NM

Em entrevista ao canal de Antonia Fontenelle, Renata Banhara revelou as agressões sofridas ao lado do ex-companheiro e também falou sobre a mais recente tentativa de suicídio que cometeu.

Banhara foi casada durante cinco anos com Frank Aguiar e contou: (…) Ali foi um deserto terrível que nós atravessamos, fui casada há cinco anos com ele, fomos felizes em inúmeros momentos, mas o final foi muito ruim”, afirmou.

“Eu vou começar do fim, vou pular minha doença, começar do fim. Um dia a minha empregada me liga, muito fiel a mim, com muito amor no coração, me fala como mulher: ‘tem vindo uma jovem aqui, na sua cama, na sua casa'”, relembra Renata ao citar que na época passava mais tempo no hospital do que em casa.

“(…) Olha o grau de canalhice. Eu inválida, doente, sou traída na minha cama. (…) Porque existe motel, hotel, mas a minha cama é meu âmago. Ai depois eu sou espancada, há o abandono financeiro durante todo esse período e ainda ele entra com um ofício extrajudicial contra as emissoras, é uma violência psicológica que eu sofri”, diz.

Renata Banhara também acusa o ex de tentar induzi-la a cometer suicídio. “Meu filho tentava desarmar as fechaduras eletrônicas do apartamento e quando o meu filho me deixava sozinha, ele me espancava com as pernas, não com as mãos, porque ele não queria deixar digital. Então foi mais ardiloso ainda, mais bizarro. (…) Ai ele me levou para um quarto, era no 21ª andar, trancou, sem encostar em mim e disse: ‘olha, você está velha, eu não te amo mais, o Breno e o Marcos não te amam mais, você está com dor, você não vai ter mais trabalho, pula, acaba com o seu sofrimento’. (…) Eu queria me jogar, meu filho atrás gritava: ‘mãe eu te amo'”, conta.

Emocionada, ela continua: “Meu filho conseguiu abrir a porta do quarto com a chave reserva, me tirou dali, me colocou em um canto do quarto e desmoronou porque era o ídolo dele. Ele começa a enxugar as lágrimas, meu marido passa por trás dele, fingi que vai sair, arranca o celular e dá três golpes na minha cabeça, no lugar da cirurgia, quebrando o aparelho na minha cabeça, na frente do meu filho”, relata.

Outra revelação feita por Banhara foi uma recente tentativa de suicídio: “Há três semanas eu tentei o suicídio novamente. Eu tomei tudo o que tinha em casa peguei minha pasta de documentos, coloquei no quarto do meu filho mais velho, deixei lá, o meu filho é um ícone. (…) Fiz um coquetel, fiz um Pai Nosso e uma Ave Maria, pedi perdão para Deus, que Deus tivesse piedade de mim e falei: ‘Senhor, eu quero dormir e acordar do seu lado, me tire daqui, eu não aguento mais sofrer'”.

Fontenelle pediu para que Renata Banhara deixasse um conselho as mulheres que também já passaram agressões: “Eu acho que é primeiro fazer valer os seus direitos, você consultar um advogado ou a defensoria pública, sempre lembrar do 180 pelo amor de Deus, fez total diferença eu não ter ligado. Lute pelos seus direitos, você vai ter essa depressão que eu tive, essa sensação de impunidade, de injustiça, mas seja mais forte (…)”, completou.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here