Reinaldo sobrevoa municípios atingidos pela chuva no Estado

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sobrevoo nesta segunda-feira (7) áreas atingidas pela chuva na região sul do Estado. O voo, realizado em um helicóptero HM1 Pantera, cedido pelo CMO (Comando Militar do Oeste), saiu de Campo Grande, às 8h, com destino a Amambai, onde várias propriedades rurais foram inundadas e famílias precisaram ser removidas para abrigos.

Governador sobrevoa municípios atingidos (Foto: Chico Ribeiro )
Governador sobrevoa municípios atingidos (Foto: Chico Ribeiro )

De acordo com o plano de voo, após abastecer em Ponta Porã, o governador sobrevoará também a cidade de Tacuru e Naviraí. Está prevista uma parada em Iguatemi apenas para abastecimento. Em Caarapó, o governador irá visitar a barragem no balneário do município que se rompeu no fim de semana. O retorno deve acontecer às 17 horas.

Acompanham o governador o secretário da Casa Civil, Sergio de Paula, o titular da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), Marcelo Miglioli e o coordenador adjunto de Dedec (Coordenadoria Estadual de Defesa Civil), tenente-coronel Adriano Rampazo.

A intenção do sobrevoo é avaliar a dimensão dos estragos e também encontrar possíveis áreas que não tenham sido localizadas nos levantamentos municipais.

A aeronave utilizada para a ação tem capacidade para 11 pessoas, entre elas a tripulação. De acordo com o CMO, o voo será feito a aproximadamente 200 pés, cerca de 70 metros de altura; inicialmente por causa de seu objetivo, de visualizar os estragos,  e também por causa da situação climática atual de grande nebulosidade.

O helicóptero, bi-motor, é usado tanto em transporte de material como de pessoas e tem autonomia de três horas de voo a uma velocidade de 200 quilômetros por hora. Conforme o CMO, o mesmo modelo da aeronave é utilizado em outros países.

A parceria entre Exército e Governo do Estado é comum em situações como esta, como explicou o coronel do CMO, Luiz Carlos Marchetti.  Além da aeronave, o Exército disponibilizou um engenheiro que irá avaliar a possibilidade de utilizar pontes móveis em locais interditados.

“Esse profissional também segue no voo e fará uma análise sobre as pontes destruídas e daniuficadas, verificando a possibilidade de utilizar pontes móveis”, explicou o coronel.

Situação de Emergência

As chuvas que não cessam na região sul de Mato Grosso do Sul já causaram diversos estragos em pelo menos 15 municípios. O Governo do Estado decretou situação de emergência em 14 deles na semana passada – Tacuru, Naviraí, Itaquiraí, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Amambai, Iguatemi, Sete Quedas, Paranhos, Caarapó, Juti, Novo Horizonte do Sul, Japorã e Eldorado.

Conforme a Cedec, Deodápolis também decretou situação de emergência, no entanto, o município não está incluído no decreto estadual.

Com o decreto, além da mobilização dos órgãos estaduais que são autorizados a somar esforços no restabelecimento dos serviços essenciais, as cidades poderão receber recurso oriundo do Governo Federal para reconstrução de áreas atingidas.

Após a publicação do decreto, o Governo do Estado tem 10 dias para entregar à Secretaria Nacional de Defesa Civil um requerimento pedindo o reconhecimento federal na situação de emergência dos municípios. Neste requerimento, entre diversos documentos, o Estado informa o valor referente à soma total dos prejuízos.

Sem prazo estipulado, a Secretaria Nacional irá avaliar o possível reconhecimento da situação de emergência e o provável encaminhamento de verba federal ao Estado.

 

Comentários

comentários