Reinaldo ressalta que Agraer busca dar competitividade ao pequeno produtor de Mato Grosso do Sul

IMG-20160203-WA0008-672x372Durante a 28ª edição da feira de agronegócio “Show Rural”, em Cascavel (PR), o governador Reinaldo Azambuja destacou o papel que os dirigentes e servidores da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) vem desempenhando para fazer com que o Mato Grosso do Sul tenha uma agricultura familiar cada vez mais forte e competitiva. Na análise, Reinaldo levou em consideração o perfil do mercado consumidor que dia após dia se apresenta mais exigente.

“O trabalho e a competitividade no campo se faz principalmente com assistência técnica. Hoje, nós temos quase 80 mil pequenos produtores no Estado. A política da Agraer, que é a nossa Agência de Desenvolvimento e Extensão Rural, é fortalecer e dar apoio aos nossos produtores”, destacou.

Para que isso aconteça de fato, o Chefe do Executivo elencou dois importantes pontos que na rotina de trabalho da Agraer : assistência técnica e pesquisa e os riscos de mercado.

“Primeiro, para o agricultor ter segurança naquilo que vai plantar, tendo através da Agraer acesso a pesquisa, tecnologia, variedades realmente sustentáveis à sua disposição. Segundo, é a questão da comercialização, a Agência também estimula a organização do pequeno produtor, em cooperativas e associações para fortalecer, principalmente, a competitividade dele de colocar o seu produto em um mercado competitivo como é hoje”, observou.

Outro ponto avaliado por Azambuja foi a questão da reestruturação das propriedades rurais do Estado. “O terceiro e último ponto é que temos que, principalmente, ver que Mato Grosso do Sul já está em um processo de diminuição dos tamanhos das propriedades. É um estado que tinha, praticamente, toda base em médio e grandes propriedades e, agora, começa a ter uma diversificação com as pequenas propriedades”.

Com base nesses três eixos, cabe a Agraer a missão de fomentar o setor. “Então, a Agência cabe esse programa de apoio a esses pequenos produtores, apoiando tanto na tecnologia, na pesquisa, na difusão e na comercialização dos produtos. Esse é o caminho ideal para a gente alcançar o crescimento da agricultura familiar e do pequeno produtor no Mato Grosso do Sul”, avaliou o governador.

Atrelado a esses três fatores que diariamente fazem parte dos dirigentes, pesquisadores e extensionistas da Agraer, o governador Reinaldo Azambuja ainda destacou um quarto elemento que desafia tanto a produção sul-mato-grossense, bem como de todo o País: a logística para escoamento de produção, por falta de infraestrutura das rodovias e baixo investimento em outras alternativas de transporte, tais como: ferrovias e hidrovias.

“O grande problema do país é a logística. O setor produtivo paga um preço alto, hoje, por não ter essa competitividade devido aos anos de descaso que houveram e que há nos meios de transporte. O Brasil não investiu em ferrovias, não se preocupou com a hidrovia, e, centralizou, principalmente nas rodovias. E, hoje, elas estão precárias e muitas delas já não aguentam mais suportar os transportes das cargas”, pontuou Reinaldo.

Ao final, Azambuja apontou algumas alternativas viáveis para contornar esses desafios. “Nós, do Estado, especificamente, estamos com um grande programa de restauração das rodovias existentes, um programa para recuperar, sinalizar, melhorar as condições e construções de novos trechos para melhorar a competitividade. A duplicação da BR 163, ajuda, a recuperação da malha oeste, concessionada a Rumo Logística e a ALL também pode contribui e isso a gente vem trabalhando para que, futuramente, se possa melhorar esses eixos logísticos, recuperando aí essa capacidade produtiva que o Estado tem de levar o produto para os portos de exportação”, concluiu.

Comentários

comentários