Reinaldo diz que Fantástico usou apenas um minuto de sua entrevista

lém de chamar os empresários que denunciaram um esquema de pagamento de propina em seu governo em troca de benefícios fiscais, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou ontem que a entrevista dada ao repórter Mauricio Ferraz, que foi ao ar domingo no Fantástico, da Rede Globo, não foi colocada na íntegra.

Governador cumpriu agenda em Itaporã na manhã desta segunda (Foto: Divulgação )

“Gravei uma entrevista de 11 minutos com o repórter do Fantástico e ele colocou um minuto da minha entrevista”, disse o governador, que ontem cumpriu agenda na cidade de Itaporã, região sul do Estado.

Durante entrevista na cidade, Reinaldo reagiu às acusações. “São picaretas e fraudadores fiscais, em 2016 os empresários foram autuados por emissão de 215 milhões em notas frias”,atestou o governador.

De acordo com a denúncia, o ex-secretário de Estado da Casa Civil, Sérgio de Paula, que deixou o cargo estadual no mês de março, e o governador estariam envolvidos no esquema de cobrança de propina, para que indústrias pudessem se manter ativas.

Ainda segundo a matéria, o empresário garante que o mensageiro afirmou que o pagamento foi autorizado por Azambuja. Como as cobranças continuaram e o desejo dos envolvidos era cobrar uma mensalidade de R$ 150 mil, o dono da fábrica decidiu registrar o pagamento de mais R$ 30 mil ao mensageiro,

realizado no dia 8 de dezembro.

Como não aceitou participar do esquema, a empresa de José Alberto Berger acabou sendo multada em R$ 7 milhões pelo que o governo afirma ter sido sonegação fiscal, perdendo novamente a autorização para atuar no estado.

“Eles impossibilitaram que a empresa operasse, por chantagem, para poder extorquir”, afirma um dos empresários. Citados pela reportagem, Polaco negou participação no esquema criminoso, assim como Reinaldo Azambuja.

Comentários