Reinaldo diz que enquanto não resolver ICMS do gás não dará reajuste

Jackson Nogueira

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) prometeu, nesta terça-feira (2), diálogo com todas as categorias de servidores públicos, durante a abertura da campanha contra a febre aftosa, que aconteceu no Clube de Laço Comprido (CLC), mas avisouque não fará reajuste dos servidores sem antes resolver o problema do ICMS do gás natural. “Para que algum tipo de reajuste aconteça nós precisamos recompor essa perda do gás, isso tem impactado muito”, disse Azambuja.

Governador Reinaldo Azambuja com o Secretário de Fazenda, Marcio Monteiro – Foto: Chico Ribeiro

O governador lembrou também que recentemente fora publicado um decreto que possivelmente dará condição de retomada dos impostos provenientes do gás natural. “Publicamos um decreto recentemente que garante um ganho ao servidor. Mas ainda não sabemos se a arrecadação suportaria um reajuste aos servidores”, reforçou.

Até o momento, não há previsão de crescimento das receitas do Executivo. Em 2016, os gastos com a folha de pagamento foram de R$ 4 bilhões, faltando cerca de R$ 500 milhões para atingir o limite máximo exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O valor total equivale a 42,99% da receita corrente líquida. O limite prudencial é de 46,55%, ou seja, R$ 4,3 bilhões, e o teto máximo é de 49%.

O reajuste costuma acontecer no mês de maio e Azambuja disse que ainda estão no prazo para definirem as tratativas com as classes. “Nesse mês nós vamos dialogar com todas as categorias”, finalizou.

Comentários