Reinaldo destaca equilíbrio nas ações de seu mandato: ‘Foi um governo de enfrentamento, de responsabilidade’

Governador Reinaldo Azambuja nos estúdios da Capital 95 FM (Foto: Michael Franco)

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja foi o entrevistado do programa Capital Meio-Dia, da rádio Capital 95 FM desta, segunda-feira (16). A conversa focou no balanço do mandato do gestor, que se finaliza em dezembro deste ano. Nas palavras do chefe do Executivo, o governo conseguiu passar por momentos polêmicos e difíceis, mantendo o equilíbrio econômico e social.

“Foi um governo de enfrentamento, de responsabilidade. Enfrentamos pautas negativas, pautas impopulares, mas o Estado está de pé”, afirmou Azambuja ao traçar um rápido panorama acerca das decisões tomadas.

O enxugamento da estrutura governamental de MS fez com que o estado tivesse o menor número de secretarias do Brasil. Reinaldo analisou o fato como mais uma medida para manter o controle da máquina pública. “Nós temos só dez secretarias, é a menor estrutura. Eu diminuí 3.800 cargos em confiança, para gastar menos com o governo para gastar mais com as pessoas […] Se nada fosse feito, daqui uns cinco ou dez anos teríamos um problema enorme”.

Eleição e alianças

O período de campanha eleitoral oficial e concreta se aproxima e os olhos dos cidadãos se voltam para as chapas, coligações e parcerias que serão feitas. Azambuja, que evitava falar até de sua pré-candidatura à reeleição, sem a confirmação do partido, afirmou na entrevista que já conversa com vários grupos para as futura caminhada conjunta.

“Nós temos algumas alianças já definidas, já temos alguns partidos e existem conversas com todos. Estamos conversando com o DEM […] agora a decisão é da instância partidária e nós temos que respeitar isso. Nós temos conversa com o partido prefeito [PSD], do ex-prefeito Nelsinho [PTB], do Bernal também [PP]. Nós estamos formatando uma aliança em cima de um propósito que é o de continuar”.

Outro mistério na chapa do PSDB é quem será o vice de Reinaldo Azambuja e o governador continuou com a incógnita. “Até o dia 4 nós teremos esses nomes todos estabelecidos, que é o dia que nós marcamos nossa convenção. Nós temos vários partidos que pleiteiam, mas tem que ser aquela pessoa que mais agregue para a eleição majoritária, para gente defender os ideais”.

Confira abaixo a entrevista completa de Reinaldo Azambuja com esses e muitos outros assuntos:

Comentários