Reinaldo Azambuja vai ao Tocantins para 3º encontro de governadores

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), ao lado dos Chefes dos Executivos de Mato Grosso, Pedro Taques, Goiás, Marconi Perillo, Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, Rondônia, Confúncio Moura e Tocantins, Marcelo Miranda, participa do 3º encontro do Fórum de Governadores do Brasil Central, em Palmas (TO) na próxima sexta-feira (11).

Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vai participar do Fórum de governadores em Tocantins (Foto: Ludyney Moura)
Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vai participar do Fórum de governadores em Tocantins (Foto: Ludyney Moura)

“A lógica é ter uma pauta de ações conjuntas para trabalhar as potencialidades que temos, e discutir, por exemplo, como conjuntamente podemos fortalecer as estruturas de governo para avançarmos na construção de uma pauta positiva para os Estados e para o país”, afirmou Reinaldo Azambuja.

O encontro desta sexta-feira servirá para assinatura do termo formal de referência do consórcio criado com a participação dos Estados do bloco Brasil Central, bem como para definição dos projetos prioritários que irão integrar a estratégia de promoção do desenvolvimento e empreendedorismo propostos pelos governadores.

“O Brasil Central é o lugar onde o dinamismo brasileiro aparece em sua forma mais pura e tem tudo para ser a vanguarda nessa nova estratégia produtivista”, frisa o ministro de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, que confirmou presença no encontro.

Palmas será o também o palco da assinatura de um Protocolo de Intenções, por parte dos governadores, documento que pretende nortear a formatação do consorcio e delinear projetos a serem executados nos Estados integrantes do bloco.

O Protocolo, elaborado pelas Procuradorias Gerais e Secretarias de Planejamento e/ou Governo de cada Ente Federado, será assinado pelos governadores e encaminhado aos respectivos Legislativos Estaduais para apreciação de cada parlamento.

O bloco é formado pelos quatros estados da região Centro-Oeste, e dois amazônicos, Rondônia e Tocantins. A formação do consórcio resultara em uma autarquia interfederativa que poderá contar com uma agência de desenvolvimento com recursos próprios voltada para o Entes Federados do Brasil Central.

Comentários

comentários