Reforma do Morenão será feita em duas frentes e deve começar em até 15 dias

morenaoA reforma do estádio Morenão, anunciada na semana passada, deflagrou uma corrida contra o tempo para que o local esteja em condições de receber jogos do Campeonato Sul-Mato-Grossense a partir de 29 de janeiro de 2017. O objetivo é liberar parcialmente o estádio, que foi vetado pelo Ministério Público Estadual (MPE) em setembro de 2014 por apresentar riscos à segurança dos torcedores. As obras devem começar nos próximos 15 dias e serão divididas em duas frentes.

Na primeira parte, engenheiros contratados pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS) estão elaborando o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI). Esse documento será enviado ainda nesta semana ao Corpo de Bombeiros, órgão responsável por aprovar o plano e fiscalizar seu cumprimento. Essa etapa da reforma só pode começar com o aval dos bombeiros ao PPCI. Outros requisitos de segurança que o Morenão deve receber são a instalação de corrimãos nas escadarias e a elevação a altura dos guarda-corpos nas muretas. A FFMS estima que a execução dos serviços tenha início em no máximo 15 dias.

Em outra frente de trabalho, o gramado do estádio precisa de reparos. Embora a grama tenha sido completamente substituída em 2012, a falta de manutenção nos últimos dois anos deixou a superfície irregular e sem condições de receber partidas profissionais. A FFMS pediu à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) para que seja feito um estudo de correção do solo. As marcações do campo de jogo também precisarão ser refeitas de acordo com o padrão Fifa (105 x 68 metros). Outra adequação necessária é com relação às traves, que estão fora da medida correta (7,32 x 2,44 metros).

Caso as obras do Morenão não fiquem prontas até o início do Campeonato Sul-Mato-Grossense, a FFMS planeja usar o estádio das Moreninhas, ou até mesmo o Olho do Furacão.

Os custos da reforma do Morenão foram estimados em R$ 150 mil. Caso o estádio seja liberado, três clubes de Campo Grande na Série A estadual seriam diretamente atendidos: Comercial, Operário e Novoperário. Há ainda outros dois clubes na segundona que brigam por acesso à elite: União/ABC e Moreninhas. Esta é a primeira etapa das reformas pretendidas para o estádio. A revitalização total do Morenão ainda está em fase de estudos pelo Governo do Estado.

Comentários

comentários