Reconstituição indica que mulher agiu sozinha em assassinato de idoso

A reconstituição do assassinato de Wanderley de Souza, de 73 anos, realizada nesta quarta-feira, dia 25 de julho, indicou que Thaís Errobidart da Silva, 19 anos, agiu sozinha no crime. Segundo o delegado Éder Oliveira Moraes, que coordenou a reprodução, a mulher demonstrou capacidade de matar a vítima e depois colocá-la no freezer sem a ajuda de outra pessoa.

Thaís conseguiu manipular o boneco sem apresentar problemas – Crédito: O Pantaneiro

A simulação foi na propriedade do idoso, no distrito de Cipolândia, em Aquidauana. De acordo com o site O Pantaneiro, as autoridades suspeitavam que ela tivesse recebido ajuda de outras pessoas. “Tínhamos dúvidas se teria força, mas ela demonstrou ser forte o bastante, tanto que na simulação pegou o boneco, que tem peso parecido com o de uma pessoa, e jogou no freezer sem problema”, explicou o delegado.

Para o advogado de defesa, Rogério Alvares Miranda, não há uma segunda pessoa envolvida na morte de Wanderley. “Ela confessou que o matou, mas tem que ser avaliado o que a levou a cometer o crime. Vou me reservar o direito de não divulgar o motivo ainda, o que será feito em momento oportuno, mas esta reconstituição foi válida para tirar dúvidas que pairavam no ar”, contou ele.

O delegado Éder Oliveira disse que o laudo pericial da reconstituição dever ser finalizado em torno de 30 dias. Thaís permanece presa durante a investigação.

O CRIME

O corpo de Wanderley foi encontrado, no dia 1º de julho, congelado dentro de um freezer em sua residência. Ele havia sido visto pela última vez em março, quando falou para um vizinho vigiar sua casa, pois iria viajar por alguns dias.

A vítima foi morta com cinco golpes de faca no tórax e dois no pescoço. Thaís Errobidart da Silva, foi presa, em Campo Grande, no dia quatro de julho e foi responsabilizada pelo assassinato do idoso.

Comentários