Ratos do mesmo sexo têm filho em experimento da China

BBC

Pesquisadores chineses recorreram a células-tronco embrionárias – e à manipulação genética – para realizar o estudo em laboratório — Foto: Leyun Wang/Divulgação

Aquela verdade que sabemos desde as aulas de biologia sobre como funciona a reprodução entre mamíferos passa a ser questionada. Ao menos é o que demonstra uma pesquisa – com resultados obtidos em laboratório – desenvolvida pela Academia Chinesa de Ciências. Os cientistas conseguiram fazer, graças à manipulação genética, que camundongos do mesmo sexo tivessem filhos.

No caso de descendentes de ratos fêmeas, a prole toda nasceu saudável, com parâmetros semelhantes à resultante de casais que se reproduzem na natureza. Já no caso de ratos machos, os filhotes nasceram debilitados e toda a ninhada morreu em dois dias. O trabalho está na edição desta quinta-feira (11) da revista “Cell Stem Cell”, publicação mensal especializada em pesquisas com células-tronco.

De acordo com o coordenador do estudo, Qi Zhou, professor do Instituto de Zoologia da Academia Chinesa de Ciências, o experimento surgiu de uma inquietação: por que os mamíferos só podem se reproduzir pela via sexuada?

Recapitulando as aulas de biologia: reprodução sexuada é aquela em que o processo depende de duas células reprodutoras especializadas, os gametas. No caso dos animais, são o óvulo – da mulher – e o espermatozoide – do homem.

Tanto a feminina quanto a masculina são células haploides, ou seja, com a metade do número de cromossomos da espécie. É quando os núcleos dos dois gametas se fundem – em um fenômeno chamado de cariogamia – que se forma a célula ovo, ou zigoto. E então, o milagre da vida acontece: mitoses (divisões) sucessivas formam um novo indivíduo.

Bom, os cientistas chineses resolveram recorrer a células-tronco – e à manipulação genética – para conseguir ninhadas de camundongos de pais do mesmo sexo. E, pelo menos no caso da prole descendente de duas mães, deu certo.

Comentários