Raspar pele para fazer tatuagem vira moda no Canadá

Nova técnica é conhecida como ‘tattoo do sacrifício’

Canadá – Uma nova mania, considerada bizarra pelos internautas, está se tornando cada vez mais comum, principalmente no Canadá. Um grupo de pessoas tem raspado a pele e deixado cicatrizes em seus corpos em vez de tatuagens – é a chamada “tattoo do sacrifício”.

Nova técnica consiste em raspar, cortar e queimar a pele para formar os desenhos Foto: Reprodução Internet
Nova técnica consiste em raspar, cortar e queimar a pele para formar os desenhos Foto: Reprodução Internet

Segundo o site “Mirror”, a tendência, que pode até ser apontada como doentia, é popular entre aqueles que gostam e que estão acostumados a fazer várias modificações no próprio corpo. Até os estúdios de tatuagens e piercing têm incentivado as pessoas a entrarem “na faca” ao invés de terem as tradicionais marcas de tinta.

 Nova mania, considerada bizarra pelos internautas, está se tornando cada vez mais comum, principalmente no Canadá Foto: Reprodução Internet

Nova mania, considerada bizarra pelos internautas, está se tornando cada vez mais comum, principalmente no Canadá Foto: Reprodução Internet

A técnica consiste em raspar, cortar e queimar a pele para formar os desenhos desejados, em vez do trabalho habitual com agulha e tinta. Embora o processo pareça doloroso, quem já fez garante que dói menos do que fazer uma tatuagem normal.

Porém, de acordo com um porta-voz do Ministério de Saúde de Ontário (Canadá), esse método pode causar danos, já que uma ferida aberta pode levar à infecções e doenças graves.

IG

Comentários

comentários