Quarteto fica livre para assinar pré-contrato e deixar Palmeiras de graça

Lancepress/JP

Jailson e Guerra fazem aniversário neste mês e estão em fase final de contrato com o Palmeiras (Foto: Agência Palmeiras)

O mês de julho começa nesta segunda-feira com uma novidade no Palmeiras: quatro jogadores do elenco passam a ficar livres para acertar pré-contrato com outra equipe e deixar o clube ao final do vínculo atual, em 31 de dezembro, de graça. Os goleiros Fernando Prass e Jailson, o zagueiro Edu Dracena e o meia venezuelano Alejandro Guerra estão nessa situação.

O quarteto já viu nomes que começaram 2019 como último ano de contrato já terem prorrogado o compromisso, como os volantes Felipe Melo, Thiago Santos e Jean. Contra esses que ainda aguardam uma definição, já que a idade avançada não parece muito ser problema, pesa o fato de nenhum deles fazer parte da formação principal do técnico Luiz Felipe Scolari na temporada.

Para Prass, Jailson e Edu Dracena, a espera não é novidade. Os contratos anteriores dos três se encerravam no fim do ano passado e a renovação saiu apenas na última semana de novembro, após a confirmação do título brasileiro. A diferença fica para o argumento usado para a espera: a eleição presidencial no clube, e a continuidade deles foi assinada exatamente depois da vitória de Maurício Galiotte. Mas, agora, não há esse cenário.

Fernando Prass

O goleiro completará 41 anos de idade no próximo dia 9 e, dentro de sua declarada intenção de continuar jogando até o final de 2020, um novo contrato com o Palmeiras seria o seu último na carreira. Não falta história para isso: é o jogador com mais partidas (271) e há mais tempo no clube (sete anos) do elenco. Ídolo da torcida, tem o aval de Felipão para seguir no plantel e é o reserva imediato de Weverton. Atuou em oito dos 33 jogos do time na temporada, acumulando 769 minutos dentro de campo.

Jailson 

É mais novo do que Fernando Prass e tem a confiança da diretoria, o que pode encaminhar a renovação. Muito querido pela torcida, por sua atuação no título brasileiro de 2016 e ser palmeirense desde a infância, Jailson é o terceiro goleiro do elenco, costumeiramente se revezando com Prass no banco de Weverton, e atuou três vezes no ano (284 minutos, contando acréscimos).

Edu Dracena 

O zagueiro fez 38 anos de idade em maio, mas sua ascendência no elenco e currículo vencedor geram muito respeito de comissão técnica e diretoria. Entre os principais nomes da posição, é quem menos atuou: 14 jogos, sempre como titular, passando 1344 minutos em campo. Mas Scolari não mostra nenhum temor ao escalá-lo, e não apenas com Antônio Carlos, seu mais frequente parceiro no miolo de defesa. Possui boas chances de renovar.

Guerra 

Dos quatro, é quem deve ter quase certeza de que vive seus últimos momentos no clube que defende desde janeiro de 2017, inclusive podendo sair já no segundo semestre. O venezuelano sequer entrou em campo em 2019, ficando no banco em apenas cinco dos 33 jogos no ano. Mesmo sem atuar e com um trabalho físico particular na pré-temporada, teve uma lesão muscular em abril. Guerra completará 34 anos de idade no dia 9 e, caso alguém queira levá-lo, não deve encontrar tantas dificuldades quanto em janeiro, quando o Palmeiras só aceitava negociá-lo em definitivo.

Comentários