Quadrilha que roubou farmácia e aplicou golpe de falso frete é presa na Capital

A Delegacia Especializada em Repressão a Roubos e Furtos (Derf) prendeu no final da tarde de ontem (01), uma quadrilha que estava cometendo roubos na Capital e aplicou um golpe de falso frete. Os policiais chegaram até Jéssica Caroline Soares Neto, 23 anos, Maykon Correia da Silva, 24 anos, Patrick de Oliveira Rocha, 22 anos, e Gerson Teodoro Crisóstomo, 21 anos, após investigações de um roubo a uma farmácia localizada na Avenida Tamandaré na noite do dia 26 de setembro.

Grupo foi preso no bairro Paulo Coelho Machado. Foto: Kerolyn Araújo
Grupo foi preso no bairro Paulo Coelho Machado. Foto: Kerolyn Araújo

Segundo informações do delegado Carlos Delano, adjunto da delegacia e responsável pelas investigações, o primeiro a ser preso foi Patrick. “Abordamos Patrick em frente a uma casa no bairro Paulo Coelho Machado. Ele estava indo se encontrar com Maykon e Gerson para cometerem outros roubos. Com ele encontramos um revólver calibre 32”, contou Delano.

Em seguida, os policias prenderam Maykon e Gerson, que moravam na mesma região. Após serem detidos, eles assumiram o roubo a um caminhão de frete na noite da última terça-feira (29), onde a vítima foi agredida, amarrada e amordaçada pelos bandidos. Jéssica, que mora na mesma casa de Patrick, no bairro Paulo Coelho Machado, foi quem ligou para a vítima e contratou o frete. Ela também participou do assalto na farmácia no dia 26.

delano2
Delegado contou que mandante dos crimes está preso. Foto: Ivan Silva

Ainda de acordo com o delegado, o mandante dos crimes é Wagner Albuquerque Rodrigues, 31 anos, marido de Jéssica. “Esse homem está preso e, de dentro do presídio, comandava a quadrilha. Ele é amigo do Patrick e colocou ele para morar junto com a sua esposa para que pudessem planejar mais roubos”, contou.

O caminhão de frete foi abandonado no bairro Paulo Coelho Machado. O veículo seria levado para o Paraguai e vendido por R$ 15 mil, porém o motorista que Wagner arrumou para levar o veículo não apareceu.

Patrick tem várias passagens pela polícia por roubo, Maykon por furto quando ainda era adolescente e Jéssica por ameaça, lesão corporal, furto e maus-tratos a menor. Gerson era o único da quadrilha que ainda não possuía passagem.

O grupo responderá por roubo majorado pelo concurso de pessoas e emprego de arma, restrição de liberdade da vítima e associação criminosa.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários