Quadrilha que deu golpe de R$ 2 milhões na compra de maquinário é desmantelada

Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco) estava investigando uma organização criminosa suspeita de crimes de estelionato. Segundo a delegada Ana Cláudia Medina relatou que foram 11 mandados de prisão preventiva, sendo 8 em Rondonópolis e Cuiabá (MT) e três em Campo Grande (MS), informou ainda que tinha sete mandatos de busca e apreensão nos dois estados.

Operação tem mandados em MS e MT - Foto: Divulgação/PC
Operação tem mandados em MS e MT – Foto: Divulgação/PC

Os presos eram suspeitos de praticar o “golpe da arara” um crime em que os golpistas abriam comércios com documentos falsos e usava nomes de outras pessoas, faziam várias compras e depois revendiam os produtos comprados com o golpe.

Organização criminosa formada por 12 pessoas, tinham uma empresa fantasma que fica no bairro Itamaracá, em Campo Grande. A partir da empresa de fachada o grupo conseguia adquirir produtos agrícolas e dando um prejuízo de mais de R$ 2 milhões.

As buscas foram feitas em Rondonópolis, em uma casa, uma transportadora, um supermercado e uma fazenda, onde foram apreendidos maquinários, veículos e um gerador de energia, todos adquiridos por prática criminosa, segundo a Deco.

Um dos três presos foi flagrado furtando energia durante o cumprimento do mandado de prisão aqui em Mato Grosso do Sul.

A Operação Canindé contou com apoio da Polícia Civil de Mato Grosso e da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) que cumpriu os mandados de prisão em Campo Grande. O nome da operação faz referência a arara canindé, uma das espécies de araras mais comuns na região.

Comentários