Quadrilha que se conheceu em presídio é presa por roubo de caminhonetes na Capital

A Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos (Defurv) apresentou na manhã desta quarta-feira (26), cinco integrantes da quadrilha presa por envolvimento no roubo de uma caminhonete e residência no dia 24 de setembro. O crime teve requintes de crueldade, na ocasião as vítimas foram amarradas e agredidas.

Kaye, Alexandre, Iago, Erivaldo e Juliano apresentados na Defurv (Foto: Ivan Silva)
Kaye, Alexandre, Iago, Erivaldo e Juliano apresentados na Defurv (Foto: Ivan Silva)

Erivaldo Paniago (32), Juliano Queiroz (34), Iago Romão (23), Alexandre Roak (26) e Kaye Nakayama (23), foram presos em flagrante no dia 2 de setembro. Na ocasião a quadrilha invadiu uma igreja e roubou também uma caminhonete. Depois de serem detidos, os homens foram encaminhados para a Defurv, onde se iniciou o trabalho de investigação. As vítimas reconheceram dois dos indivíduos, o restante da quadrilha foi encontrado posteriormente com o trabalho da polícia.

De acordo com o delgado Gustavo Ferraris, três dos criminosos são evadidos da Colonia Penal Agrícola de Campo Grande, se conheceram na unidade e decidiram iniciar os furtos no momento em que saíssem. Na noite do dia 24, os indivíduos andavam a esmo procurando uma caminhonete para roubar, a quadrilha estava em dois carros, em um Gol estavam Erivaldo, Juliano e Iago e em um Fiesta, os outros dois integrantes. Ao avistar uma mulher abrindo o portão da residência para que o marido entrasse com a caminhonete Mitsubishi L-200 decidiram iniciar a ação.

O casal foi rendido e imediatamente amarrado por Erivaldo, Juliano e Iago, os outros dois criminosos permaneceram do lado de fora para dar apoio, Kaye desceu do Fiesta, tomou a direção do Gol e aguardou. Segundo informações das vítimas Erivaldo parecia ser o chefe pois dava as ordens, Juliano era o mais violento, inclusive deu uma martelada no rosto de uma das vítimas, aparentemente sem motivo e Iago era o mais quieto e se preocupou em roubar objetos da casa.

Quando os três homens saíram da casa com a caminhonete e todo os objetos furtados, Alexandre entrou na caminhonete e foi imediatamente para o Paraguai na tentativa de vendê-la. Kaye fugiu com o Gol e o restante da quadrilha saíram com o Ford Fiesta. As vítimas esperaram cerca de 40 minutos para pedir ajuda e acionar a polícia.

Ao cruzar as informações a polícia descobriu que eles tinham ligação com uma onda de furtos de veículos. O primeiro furto aconteceu no dia 24/09, o crime pelo qual foram apresentados, outros nos dias 26 e 28 e por fim no dia 02 de outubro furtando na igreja, no qual foram detidos.

Delegado Gustavo Ferraris (Foto: Ivan Silva)
Delegado Gustavo Ferraris (Foto: Ivan Silva)

Investigação

O delegado responsável pelo caso, Gustavo Ferraris, afirmou em entrevista coletiva que os homens continuarão sendo investigados pois são suspeitos de mais furtos, inclusive dos carros que conduziam no dia do crime. Ferraris ressaltou a destreza da quadrilha, “Eles foram organizados e violentos, são especialistas em roubo. Eles gostavam de coisas fúteis, além do carro levavam jóias, televisão e até tapete.”

O delegado ainda afirmou que eles levavam os veículos para o Paraguai rapidamente. “Eles roubavam e já levavam para vender no Paraguai, dividiam o dinheiro e já gastavam com drogas e coisas fúteis. Depois roubavam de novo.”, afirma Gustavo Ferraris

As investigações continuam para saber se tem mais gente envolvida com o grupo criminoso. Todos vão responder por roubo e formação de quadrilha.

 

 

 

 

Comentários

comentários