Puccinelli descarta candidatura a prefeito de Campo Grande

Nádia Nicolau

Em entrevista ao programa de rádio, Capital Meio Dia, nesta quarta-feira (21), o entrevistado foi uma das personalidades políticas mais conhecidas de Campo Grande, e de Mato Grosso do Sul, Dr. André Puccinelli que, logo de início foi agradecendo as mensagens de ouvintes e internautas que acompanhavam a transmissão.

Líder do MDB em MS, Puccinelli tem vasto currículo no âmbito político. Já assumiu cargos nas três esferas. Em Mato Grosso do Sul, foi governador, e na capital, esteve na condição de prefeito. Ambas as funções exercidas, inclusive por mandatos consecutivos.

Embora tenha todos esses registro em sua história, hoje, uma das mais importantes funções da sua vida está sendo, segundo expressou o próprio Puccinelli “a de ‘vovorista’ dos netos”, (vovô motorista).

Durante a conversa, o médico nascido na Itália – mas que adotou o Brasil, especialmente Campo Grande, capital do MS, como o seu lugar no mundo – disse que faz parte da sua rotina diária levar as netas às aulas de inglês, à dança artística, ou mesmo passar o tempo na companhia deles em uma pescaria.

“Tenho andado pela cidade e, graças a Deus, há receptividade das pessoas. Tirando os adversários que falam o que não sabem”, declarou André dizendo gosta de Campo Grande que, por sinal, o faz lembrar de sua Curitiba da adolescência. Mas ao mesmo tempo, ele ressaltou que a cidade morena precisa de cuidados.

Mencionando que sua filha caçula e os netos são nascidos em Campo Grande, André Puccinelli disse que ao transmitir o cargo de então prefeito ao seu sucesso à época, fez questão de frisar que estava entregando uma filha ao genro, e pediu que a cuidasse. Tudo isso em analogia ao carinho pela cidade. “Campo Grande, independentemente do gestor, é sempre bonita, mas ela já esteve mais bonita. Ela tá se recuperando, mas precisa ser cuidada”.

Candidatura a prefeito

“Não sou candidato”, destacou André Puccinelli, que fez questão de dizer que não é corrupto e nem é ladrão. “Ilegalmente me tiraram da disputa”, lembrando o episódio da última eleição no qual disputava o governo do Estado.

Se declarando sem pretensões na política, o ex-político revelou que gosta de administrar, “mas quando a coisa é séria. Hoje tá uma esculhambação”.

MDB no MS

O partido, conforme Puccinelli, contabiliza 15 prefeitos em todo o Estado e grande número de vereadores. Mas o presidente da sigla ponderou que “não se mede um partido quantitativamente, o que se mede são as pessoas boas ou ruins”. Ele afirmou que tem feito andanças pelos municípios para motivar os distantes a voltarem à vida política.

Ao ser questionado se guarda mágoas de pessoas, ele assegurou “quem é cristão perdoa. Num primeiro momento tema raiva, mas depois, com maturidade, o melhor é perdoar do que guardar raiva, mas as lembranças devem ser mantidas”. Puccinelli acrescentou ainda que os adversários podem se tornar aliados desde que sejam, nas palavras dele, “pessoas boas, operosas, e de palavra”.

No final da entrevista, Dr. André Puccinelli relatou que a principal lição que aprendeu durante sua atuação na política, seja na esfera estadual ou federal, foi que é possível, de alguma forma, sempre servir.

CLIQUE AQUI para conferir a entrevista na íntegra.

Comentários