PSDB recua e Mochi será reeleito por consenso na Assembleia

As articulações entre os deputados estaduais que integram a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul não foram suficientes para impedir à reeleição de Júnior Mochi (PMDB) na Mesa Diretora da Casa, o qual deve continuar no cargo por mais dois anos.

Mocchi será reeleito por consenso Foto Roberto Higa

Apesar de majoritária, a bancada tucana não reuniu o consenso esperado em torno da candidatura do deputado Beto Pereira (PSDB), que recuou, abrindo espaço para o aliado do ex-governador André Puccinelli, principal expoente do PMDB no Estado.

Mochi será candidato de consenso, garantiu interlocutor da Assembleia ao confirmar o acordo em torno da chapa consensual.

O acordo suprapartidário também prevê a permanência do deputado Zé Teixeira (DEM) na primeira-secretaria, o segundo cargo mais importante da Mesa Diretora.

O peemedebista já tem em mãos documento assinado por 16 parlamentares formalizando o apoio, o que lhe garante a maioria na casa, onde há 24 deputados. Ou seja, apenas os oito do PSDB ainda não assinaram, mas está definido que não haverá disputa.

Ainda não há uma definição para a composição dos demais cargos da Mesa, como a vice-presidência, atualmente ocupada pelo deputado Onevan de Matos (PSDB); Grazielle Machado (PR), 2° vice-presidente, Mara Caseiro (PSDB), 3° vice-presidente, Cabo Almi (PT), 2° secretário e Felipe Orro (PSDB), 3° secretário.

Comentários