Promotor desmaia, e júri de Nando é cancelado

O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos dissolveu o júri do julgamento de Luiz Alves Martins Filho, o serial killer confessou ter matado 16 pessoas em Campo Grande. A decisão ocorreu após o promotor de justiça do caso, Douglas Oldegardo ter um mal súbito.

Nova data de julgamento será marcada em breve — Foto: TJMS/Reprodução

O julgamento foi interrompido às 14h54 desta sexta-feira (23). Nando como é conhecido o acusado, responde por vários homicídios na região do bairro Danúbio Azul, em Campo Grande.

O promotor teve o mal súbito após encerrar a tréplica com a defesa. O médico do Fórum e o Samu foram acionados e ele foi levado ao hospital. O juiz então decidiu pela dissolução do júri e com isso os trabalhos foram cancelados. Uma nova data de julgamento deverá ser marcada.

Crimes
Nando foi acusado de ter matado pelo menos 16 pessoas entre os anos de 2012 e 2016. As vítimas eram, em maioria, jovens mulheres envolvidas com consumo de drogas e inseridas em contexto de vulnerabilidade social. O Ministério Público estima que sejam necessárias mais de 45 audiências para julgar todos os casos do serial killer.

Em fevereiro deste ano, o acusado foi condenado a 2 anos de prisão por ocultação do cadáver de Ana Cláudia Marques, 37 anos, assassinada em 2016 por asfixia. Pelo homicídio dela, Nando foi inocentado.

Essa foi a quarta condenação do serial killer, no total as penas somam 67 anos e 8 meses. Duas condenações foram em 2018, uma em novembro, pela morte e ocultação de cadáver de Lessandro Valdonado de Souza, e outra em junho por um assassinato ocorrido em 2016. A primeira condenação de Nando foi em 2017, por tráfico de drogas e favorecimento da prostituição e exploração sexual de criança ou adolescente.

Comentários