Projeto Vertentes é atração na Páscoa em Campo Grande

Da Redação

No próximo domingo (21), artistas de Campo Grande começam a participar do “Projeto Vertentes”, um coletivo de música que está gerando a primeira ação cultural na cidade, independente dos governantes.

Foto: Divulgação.

O projeto acontecerá uma vez ao mês na Casa de Ensaio, reunindo sempre atrações de vários segmentos da música produzida na Capital.

A primeira edição acontece neste domingo, às 18h, apresentando a vertente Folk com o Clube do Litoral Central, Maria Alice, ZéDu e Raphael Vital. O grupo de whatsapp especificamente de músicos da cidade de Campo Grande, passou-se a debater assuntos relevantes à categoria musical e mais pessoas foram aderindo ao movimento, chegando hoje a 300 integrantes na maioria artistas, músicos e compositores, mas também com a participação de produtores, iluminadores, editoras, técnicos, representantes de órgãos políticos e jornalistas.

Com a participação junto ao Sindicato de Músicos (Simatec) e dos Fóruns de Cultura, a integração se estendeu fora do whatsapp em reuniões presenciais que começaram acontecer e os projetos surgiram, sendo o Vertentes a primeira iniciativa do Coletivo Campo Grande Música de se criar um projeto de apresentações musicais que possa se tornar tradicional na cena campo-grandense.

FOLK – O Clube do Litoral Central é formado por Guga Borba, Jerry Espíndola, Ju Souc, Leandro Perez, Renan Nonato, Rodrigo Sater e Rodrigo Teixeira, todos músicos com carreiras individuais e conhecidos do público, unidos num trabalho que alinha canções de suas trajetórias em formatos diferentes e traz em cada apresentação surpresas sonoras.

Maria Alice, a cantora cearense-sul-mato-grossense, agita e participa da cena musical local desde os anos 1990. Dona de uma voz grave e de um extremo bom gosto na escolha de seu repertório, suas interpretações agradam o público. Ela apresentará canções do seu espetáculo “Sertões”. ZeDu, o “padrinho” do Coletivo, é cantor e compositor, além de apresentar o programa “Nossa Música é Assim”, uma referência sobre cultura do MS. C

ompositor de músicas conhecidas de nosso público, como “Dia e noite, noite e dia” e “Pequenos trechos”, bem executada nas rádios do Mato Grosso do Sul. Em sua apresentação no Vertentes fará um apanhado de sua trajetória musical num show intimista.

Raphael Vital é violeiro da nova geração que já apresenta técnica e boas influências regionais, mineiras e nordestinas. Vindo de Três Lagoas, Raphael vem trabalhando seu show “Vaqueiros urbanos” com músicas campestres e urbanas e apresentará suas canções no Vertentes.

Comentários