Projeto prevê inclusão de líderes religiosos entre prioridades para vacinação contra Covid

O deputado Lidio Lopes (PATRI) apresentou nesta terça-feira (11) o Projeto de Lei 128 de 2021, o qual dispõe sobre a prioridade de imunização dos representantes religiosos no programa de vacinação contra o Coronavírus-COVID-19, no âmbito do estado de Mato Grosso do Sul.

A proposta é de que os representantes religiosos sejam vacinados na lista de prioridades e que a qualificação do representante religioso seja comprovada nos seguintes termos: “I- ser Pastor(a), Padre ou Líder Religioso, credenciado por sua representação religiosa, para esta finalidade específica; II – apresentar comprovante de endereço da instituição religiosa a qual pertence ou, sendo o caso, do contrato de aluguel devidamente assinado por duas testemunhas, com reconhecimento de firma das partes envolvidas”.

Para o deputado, a medida é importante, pois “este grupo, diariamente lida de forma direta com muitas pessoas enfermas, uma vez que é procurado por estas para auxílio espiritual. Com isso, são colocados em situação de vulnerabilidade e risco ao contágio de inúmeras doenças, inclusive a atual Covid-19, doença esta que infelizmente ceifou a vida de muitos cidadãos, inclusive de líderes religiosos”.

Na sessão desta terça-feira (11), Lidio comentou a importância do projeto e pediu apoio dos demais parlamentares. Professor Rinaldo (PSDB) afirmou que entende a intenção e concorda que os líderes religiosos precisam de prioridade, mas que o projeto de lei pode “entrar em contradição com as diretrizes nacionais a respeito de quem é prioridade na vacinação”, e por isso seria mais indicado fazer um requerimento. Barbosinha (DEM), por sua vez, também afirmou ser importante a prioridade para os líderes religiosos.

Lidio Lopes explicou que o projeto é apresentado para “dar força à discussão, pois apenas com o requerimento não vamos conseguir dar andamento à questão”, afirmou. Para ele, é necessário aprovar o projeto para levar a demanda a ter a atenção nacional junto a outras forças políticas.