Projeto de aprimoramento da saúde mental da Capital é selecionado em programa de incentivo nacional

Campo Grande teve um projeto que contempla ações de formação no âmbito específico da troca de experiências entre profissionais da área de saúde mental selecionado na Chamada Pública de Apoio a Eventos Técnico-Científicos em Saúde 2018.  A aprovação do projeto prevê o financiamento de R$ 150 mil por meio de Termo de Cooperação entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS). A validação e habilitação foram anunciadas na última terça-feira (5) e a convocação acontece no próximo dia 11.

Para a coordenadora de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), Ana Carolina Guimarães, a habilitação do projeto representa uma importante conquista para  a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) da Capital, uma vez que, através do intercâmbio entre experiências, oficinas de atualização, entre outros aspectos previstos, a assistência prestada à população será qualificada.

“Não só o atendimento como um todo, mas até mesmo o aspecto profissional da Rede de Atenção Psicossocial será fortalecida”, complementa.

O projeto inscrito pela coordenação de Saúde Mental de Campo Grande irá beneficiar também municípios do interior do Estado que irão compor o plano de trabalho e estudo.

Criada desde, 2003, a Chamada faz parte do fomento a produção cientifica nos estados brasileiros de acordo com as necessidades locais, para promover melhorias para a saúde da população, uma das ações do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE/MS).

Participaram da seleção instituições nacionais, sem fins lucrativos (órgãos da administração pública federal, estadual e municipal, instituições, fundações, associações ou sociedades científicas brasileiras e conselhos da área da saúde), que atenderam aos critérios do edital e queiram realizar eventos de caráter técnico-científico na área da saúde.

Durante o processo, as propostas são avaliadas de acordo com os seus potenciais de priorização de temas estratégicos para o SUS, originalidade e inovação do evento, oferta de espaços de discussão e interação, aperfeiçoamento e qualificação dos atores que atuam no âmbito do SUS, entre outros critérios.

Comentários

comentários