Programação do segundo dia do Festival de Inverno de Bonito será intensa

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A pouco mais de uma semana da abertura do 16° Festival de Inverno de Bonito é grande a curiosidade sobre todas as atividades durante os 4 dias de festa que vai ter a participação de 180 artistas – 135 regionais e 45 de outros estados brasileiros. Serão quase 50 atrações artísticas, entre shows, peças, concertos, performances, seminários e debates, além de oficinas e atividades especiais para crianças e adolescentes.

Na sexta-feira (31), segundo dia do Festival, as atividades começam logo cedo, às 7h, com o passeio ao Parque Nacional da Serra da Bodoquena – Cabeceira do Rio Perdido. A saída será da Praça da Liberdade às 7h. O grupo se encontrará na Praça da Liberdade e irá de carro até o local do início da trilha no sumidouro do Rio Perdido. A extensão da caminhada é de 1,3 km, e os participantes precisam se vestir com calça, camiseta, boné e tênis, além de levar água, lanche e roupa de banho, pois há uma cachoeira durante a trilha. O passeio é de graça, e o retorno à cidade é previsto para as 12h.

Confira abaixo o restante da programação do dia e comece a programar o seu dia em Bonito.

das 9h às 11h
Oficina Grafite Cores da Juventude – Guto Naveira (MS)

Ministrada pelo jovem artista campo-grandense, a oficina promove a integração da arte e o meio ambiente com crianças e jovens na faixa etária entre 8 e 14 anos. Busca despertar a consciência ecológica coletiva por meio da expressão artística produzida em locais públicos.

9h às 11h
Cultura da Infância – Oficina Chapéu com Carol Jordão (MS)

Atividade envolvente para o público infantil. Cada criança a partir de 6 anos irá confeccionar um chapéu, batizado de “guardião da natureza”. Durante uma conversa em que são passadas noções de preservação ambiental e consciência ecológica, os participantes da oficina irão pintar, desenhar e colocar adereços feitos de material reciclado para decorar o chapéu.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

9h às 11h
Cinemagia 3D (RS) – S.O.S Planeta Terra

Curta-metragem em 3D para crianças que aborda os efeitos da influência que o homem exerce sobre o meio ambiente e a urgência com a qual medidas devem ser tomadas. Enfoca temas como aquecimento global, desmatamento da Mata Atlântica e a depredação dos habitats marinhos e o que as pessoas podem fazer para ajudar o planeta.

9h às 11h
Seminário Economia Criativa – Roda de Conversa Caminhos Criativos para as Cidades

Abertura oficial

Athayde Nery – Secretário de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação de MS/SECTEI
Andréa Freire – Secretária Adjunta/SECTEI
Geórgia Haddad Nicolau – Representante do Ministério da Cultura
Vânia Mugart – Mediadora, Secretária de Cultura de Bonito (MS)
Adriano Pacheco – Coordenador de Projetos do Instituto RessoArte e Pesquisador de Pontos Cultura (MS)
Ricardo Câmara – Diretor-Presidente da Fundação Nelito Câmara e Diretor do Festival de Cinema Vale do Ivinhema (MS)

A economia criativa, por sua multidisciplinaridade, é um fator de integração de setores e dimensões da sociedade. O festival, ao trazer este tema, compartilha as experiências locais por meio da Roda de Conversa, propõe uma reflexão sobre uma dinâmica econômica capaz de envolver bens e serviços culturais a partir da compreensão da nossa própria diversidade.

9h às 12h
Oficina Skate Intervenções Urbanas Coletivo VivaRua (MS)

A oficina de Fred de Almeida (MS) e Maycon dos Santos (MS) ensina técnicas e manobras, aborda assuntos que contribuem para a formação educacional e cultural de praticantes do skateboard para que possam atuar com autonomia na transformação de suas realidades. Para iniciantes no skateboard, a partir de 8 anos. O Coletivo VivaRua é um grupo de intervenções urbanas que promove e difunde a cultura de rua em Mato Grosso do Sul.
9h às 11h30m
Oficina Dança de Rua – Processos Colaborativos em Danças Urbanas

Marcos Mattos (MS) – Diretor e coreógrafo da Cia. Dançurbana (MS) e do Grupo Expressão de Rua (MS)
Lívia Lopes (MS) – Bailarina da Cia. Dançurbana (MS)

Oficina que enfoca a dança de rua e propõe processos de criação colaborativos a partir de movimentos básicos do estilo.
9h às 22h
Exposição Artesanato MS

Mostra expressiva do artesanato produzido no Mato Grosso do Sul.

9h às 22h
Exposição Artesanato Bonito

Exposição que reúne o trabalho de artesãos bonitenses, evidenciando a singularidade da produção local.

9h às 22h
Exposição Comitiva Contemporânea – Buga (MS)

Buga, uma filha de Bonito, traz para sua terra o merecido reconhecimento a uma tradição regional centenária, apresentando-a de uma forma bem criativa. Depois de uma passada triunfante pela “Capitá”, a Comitiva Contemporânea da artista faz seu pouso em Bonito, enriquecendo o Festival de Inverno, antes de seguir sua viagem. Curadoria de Carlos Bertão; iluminação, design e fotografias de Ale Teixeira; trilha de Marcelo Galbetti; edição de imagens de WashiePichinin e imagens de Maurício Copetti.

Coletiva de artistas de Bonito (MS)

Senhora absoluta dos atrativos ecoturísticos no Brasil, chegou a hora de Bonito mostrar que tem também arte para apresentar ao país.
Os artistas bonitenses, de nascimento ou de coração, Alessandra Mastrogiovanni, Barbosa Junior, Beto Marson e Shoitchi Yamada têm, cada um, sua forma típica e peculiar de se expressar.
9h às 22h
Exposição O Pantanal e Sua História na Pintura Sul-mato-grossense

Acervo e curadoria: Professor Gilberto Luiz Alves.

Exposição que traz mais de 70 obras que revelam a riqueza das artes plásticas de Mato Grosso do Sul e oportuniza ao público entender de que maneira a região pantaneira influenciou o trabalho de nomes como Ilton Silva, Humberto Espíndola e Jorapimo.

9h às 22h
Memória Fonográfica de Mato Grosso do Sul

Acervo e Curadoria: Carlos Luz.

9h às 22h
Memória Fonográfica de Mato Grosso do Sul

Acervo e Curadoria: Carlos Luz

11h às 11h30m
Divulgação dos editais da Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do MinC

Representante do MinC – Rômulo Fraga

14h às 18h
Cultura da Infância – Artes Visuais

Crianças de 6 a 12 anos, após visita monitoradas por educadoras às exposições de artes plásticas do festival, vão apresentar releituras individuais das obras. O objetivo é estimular o conhecimento da produção artística regional e despertar a sensibilidade e o gosto por este tipo de arte.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

15h às 17h30m
Oficina Dança de Rua – Processos Colaborativos em Danças Urbanas

Marcos Mattos (MS) – Diretor e Coreógrafo da Cia. Dançurbana (MS) e do Grupo Expressão de Rua (MS)
Lívia Lopes (MS) – Bailarina da Cia. Dançurbana (MS)

Oficina que enfoca a dança de rua e propõe processos de criação colaborativos a partir de movimentos básicos do estilo

16h às 19h
Cinemagia 3D (RS) – S.O.S Planeta Terra

Para adultos e crianças a partir de 4 anos.

16h às 17h
Bebê a Bordo – Flor e Espinho (MS)

Espetáculo sem palavras, que revela sensivelmente a situação em que um palhaço andarilho encontra na rua uma criança abandonada. Direção e roteiro de João Lima (BA) e encenada pelo ator Anderson Lima (MS).

17h às 18h
Camalote (MS)

Espetáculo baseado em tradições populares, com trilha sonora repleta de ciranda, catira, siriri, polca e chamamé. O grupo Camalote é reconhecido pela singularidade de seu figurino e especialmente por difundir, por meio da dança, o patrimônio cultural da tradição regional pantaneira e seu entorno.

18h às 22h
História Sem Nome – Lenilde Ramos (MS)

Lançamento do livro que conta a experiência da cantora e compositora Lenilde Ramos com pessoas que tinham hanseníase. A escritora ressalta o pavor e o preconceito que rondavam a doença. Como pano de fundo, Lenilde reconta a sua própria história.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

19h
Kuery Porã (MS)

Grupo bonitense composto por PH Breda e Wander Muniz. A banda interpreta clássicos da música sul-mato-grossense e fronteiriça.

20h
Patrícia e Adriana (MS)

Show com os principais sucessos da dupla que prepara DVD para comemorar 15 anos da gravação do primeiro CD. Adriana tem várias canções gravadas por cantores como Michel Teló, Maria Cecília e Rodolfo e Mato Grosso e Mathias.

21h
Chalana de Prata (MS)

O grupo reúne quatro artistas emblemáticos de Mato Grosso do Sul: Dino Rocha, Paulo Simões, Celito Espíndola e Guilherme Rondon. Juntos, eles fazem um show com cara de baile da fronteira onde os principais sucessos da música sul-mato-grossense embalam o público amante da polca paraguaia e do chamamé.
22h
Canto Guarani (MS)

Conjunto que traz o pioneiro cantor paraguaio Victor Hugo de La Sierra acompanhado de seu filho Hugo Cezar e da neta Loren Gabriela. O repertório é composto por polca, chamamé, cúmbia, bolero e guarânia. Três gerações da família De La Sierra no mesmo palco com o acompanhamento do harpista Geral Ortiz, o acordeonista Maninho Rocha e o tecladista Pedro Valenzuela.

A realização do Festival de Inverno de Bonito (FIB) é da Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) e do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. A programação completa pode ser conferida no http://festivaldeinvernodebonito.com.br/programacao

 

Comentários

comentários