Programa do TJMS ganha prêmio nacional de Direitos Humanos

Ascom TJ-MS

A juíza Coordenadora da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar de MS, Jaqueline Machado, ganhou o prêmio de Direitos Humanos 2018, na categoria Mulher. O Prêmio Direitos Humanos é uma honraria concedida, desde 1995, pelo Governo Federal a pessoas e organizações cujos trabalhos em prol dos direitos humanos sejam merecedores do reconhecimento e destaque por toda a sociedade. A juíza Jacqueline Machado, que responde pela Coordenadoria, estará em Brasília para a premiação no dia 21 de novembro, às 10 horas, no Ministério de Direitos Humanos.

Nesse ano, a entrega do prêmio coincide com o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Assim, o prêmio pretende ser um importante instrumento de mobilização da sociedade brasileira para difusão do conteúdo do trabalho feito por organizações e pessoas em prol dos direitos sociais.

Serão premiadas 15 categorias: promoção e defesa dos direitos humanos; educação em direitos humanos; crianças, adolescentes e jovens; pessoas idosas; mulheres; pessoas com deficiência; igualdade étnica e racial; indígenas e povos tradicionais; diversidade sexual e de gênero (LGBTI); terra e conflitos agrários; moradia e conflitos urbanos; polícia, segurança pública e sistema penitenciário; migrantes e refugiados; liberdade religiosa; outras ações diretamente relacionadas aos direitos humanos de pessoas ou grupos vulneráveis.

Mais de 70 trabalhos, de todas as regiões do Brasil, foram inscritos e na categoria Mulher destacou-se o Mãos EmPENHAdas Contra a Violência. Importante lembrar que o programa começou quando a juíza de MS percebeu que as mulheres falavam espontaneamente da violência sofrida durante tratamentos em salões de beleza.

Destaque-se que o Mãos EmPENHAdas Contra a Violência visa capacitar profissionais da área de beleza para orientar as clientes sobre seus direitos previstos em lei. Na Capital foram mais de 160 profissionais capacitados de 40 estabelecimentos parceiros, mais de 3.500 pessoas tiveram acesso ao material; 640 pessoas buscaram informação sobre a temática; 56 clientes relataram que estavam em situação de violência, 39 consultores da Mary Kay receberam a capacitação, além de profissionais capacitados com a interiorização do programa.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui