Professores podem cruzar os braços na próxima quinta

PLenário da Assembleia ficou lotado Foto Roberto Higa
PLenário da Assembleia ficou lotado Foto Roberto Higa

Reunidos logo após a sessão desta quinta-feira (14) da Assembleia Legislativa, onde promoveram protesto contra o projeto de lei do Executivo (retirado de pauta) que altera as regras das eleições para diretores de escolas estaduais, os professores decidiram aprovar o indicativo de greve.

A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) cobra 10,98% de reajuste para que até 2018 todos os professores recebam o piso salarial nacional.

O indicativo condiciona analisar primeiro a proposta de reajuste a ser feita pelo governo e, dependendo disso, os professores podem parar as aulas na próxima quinta-feira (21).

A Fetems vai levar a proposta do governo aos professores na próxima segunda-feira (18) e, no dia seguinte, fará nova assembleia geral para encaminhar a sua posição e resolver se entra em greve ou continua com as atividades normais.

Comentários

comentários