Professores pedem cumprimento de piso salarial no Parque dos Poderes

da Redação/JN

Profissionais da educação de Mato Grosso do Sul fazem manifestação nesta terça-feira (30), em Campo Grande. Com faixas, cartazes, bandeiras e camisetas em alusão ao movimento, eles ocupam parte da avenida do Poeta, próximo ao prédio da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (SED/MS).

Foto Lúcio Borges

O presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação (Fetems) Roberto Botoreli, diz que há no movimento cerca 5 mil participantes. A Polícia Militar (PM) só irá divulgar o número de pessoas quando o protesto acabar.

Ônibus com representantes da Educação dos municípios de Sidrolândia, Jateí, Glória de Dourados, Aparecida do Taboado, Paranaíba, Inocência, Batayporã, Três Lagoas chegaram ao local.

Segundo Botoreli, a manifestação é porque os professores não receberam reajuste de 7,64% do piso salarial nacional, referente ao mês de janeiro. A Federação também pede a incorporação do abono salarial de R$ 200 ao salário dos administrativos da educação. Ao fim do evento deve ser realizada votação sobre greve.

Por causa do movimento, muitas escolas não tiveram aula nesta terça-feira. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação (SES), em Campo Grande há o total de 86 escolas estaduais, onde estudam 66.653 alunos.

Em Dourados tem 21 escolas estaduais. Cerca de 19 mil alunos devem ficar sem aula. Em Ponta Porã são 12 escolas que fazem parte da rede estadual. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação, cerca de 12 mil alunos não terão aula nesta terça-feira.

Comentários