Professores fazem panelaço e fecham a Avenida Afonso Pena

Os professores da rede municipal de ensino protestam em frente à Prefeitura de Campo Grande na manhã desta sexta-feira (12). A greve dos profissionais entrou no 20º dia seguido e os professores dizem que só voltarão às aulas se o reajuste de 13,01% for concedido.

Foto Paulo Francis
Foto Paulo Francis

O presidente do Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública (ACP), Geraldo Alves, disse que está espreando o vereador Edil Albuquerque (PMDB), líder do prefeito na Câmara para depois se reunir como secretário interino da Secretaria de Educação, Wilson do Prado. “Vamos ver se a prefeitura faz uma proposta que sensibilize a categoria, as feitas até agora foram rejeitadas por unãnimidade no Sindicato”, comentou

Com faixas, cartazes, panelas, panfletos e trio elétrico, cerca de 50 profissionais fazem barulho em frente ao Paço Municipal. “No início do panelaço cerca de 600 professores estavam, aqui”, computou o professor.

Parte dos professores fecharam a Afonso Pena para distribuir panfletos aos motoristas.

ASSEMBLEIA

Ontam à tarde durante a votação pela continuidade da greve, os professores ficaram “de costas” para o proposta apresentada pelo Executivo Municipal – de 8,5% de reajuste. Em contraproposta ao valor ofertado pela Prefeitura, a ACP pediu 13,01% para jornada de 20 horas, conforme piso salarial nacional, sendo 1% em junho e julho, 2% até novembro e 3% em dezembro.

Comentários

comentários