Professores e administrativos pedem na Assembleia mais recursos para Uems

Silvio Ferreira

Docentes e administrativos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) participam da sessão da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul desta quinta-feira (24) para pedir aos parlamentares que reivindiquem, junto ao governo do Estado, a reversão da decisão de limitar a R$ 207 milhões, a destinação de repasses à instituição em 2018.

A Associação dos Docentes da UEMS (Aduems) estima que a universidade precisaria de R$ 251 milhões para funcionar plenamente neste ano, já que somente a folha de pagamento da universidade consome R$ 151 milhões. Representantes da entidade têm afirmado que a redução de repasses não tem justificativa já que, “enquanto os gastos médios com folha de pagamento nas universidades públicas no País seria de 85%, na Uems estes gastos seriam da ordem de 60%”. Ainda segundo a entidade, a Uems tem cerca de 10 mil alunos em 15 unidades, distribuídos em 66 cursos de graduação, 22 especializações, 14 cursos de mestrado e 2 de doutorado e precisa dos já citados R$251 milhões para funcionar minimamente.

Diante de uma plateia impaciente, o presidente da Comissão de Finanças e Orçamento da Assembleia, deputado Renato Câmara (PMDB), e os colegas Luis Carlos Barbosa (DEM) e Prof.Rinaldo Modesto (PSDB) – líder do governo na Casa de Leis -, se dispuseram a levar as demandas ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Para o líder do governo, “as demandas são justas, mas há que se considerar que o País atravessa o seu momento mais difícil, em que a recuperação econômica ainda dá os seus primeiros passos”.

Por outro lado, o deputado Amarildo Cruz (PT) ponderou: “Sabemos das dificuldades que têm sido enfrentadas, mas esperamos que o governo do Estado tome a atitude de destinar mais recursos para setores como a Educação, do que tem destinado à Propaganda”, concluiu.

Comentários