Professores devem aceitar reajuste parcelado em 10 vezes e encerrar greve

A reunião entre professores grevistas, vereadores da Comissão de Educação e secretários de Gilmar Olarte (PP), na noite de ontem (19), terminou com a promessa de encerrar a greve na próxima semana. Pelo menos isso é o que será discutido em assembleia da categoria, realizada na tarde desta quinta-feira (20).

Os docentes explicaram quais são as ressalvas em fechar acordo, sendo a falta de confiança no cumprimento por parte da prefeitura o maior problema.
Os docentes explicaram quais são as ressalvas em fechar acordo, sendo a falta de confiança no cumprimento por parte da prefeitura o maior problema.

Os profissionais foram até a Câmara Municipal na última quarta-feira (19). Os docentes explicaram quais são as ressalvas em fechar acordo, sendo a falta de confiança no cumprimento por parte da prefeitura o maior entrave.

Depois de ouvir os professores e fazer ponderações quanto a Lei de Responsabilidade Fiscal, situação financeira da prefeitura, vantagens e desvantagens dos professores aceitarem o vale alimentação proposto pela prefeitura (questão monetária atende, só não acrescenta na carreira), um vereador entrou em contato com o secretário de governo, Paulo Matos, solicitando uma reunião no mesmo dia. O encontro ocorreu logo em seguida.

De acordo com o vereador, Eduardo Romero, foram convidados os vereadores João Rocha e Herculano Borges para participarem do encontro, como parlamentares da Comissão de Educação da Câmara. Além dos três vereadores e professores, participaram da reunião o secretário de governo, Paulo Matos e o de educação, Marcelo Salomão.

No encontro, de acordo com o presidente da ACP, Geraldo Alves, ficou definido que uma petição conjunta será redigida entre a ACP e a prefeitura para solicitar à Justiça que ambos os processos tenham trâmites mais rápidos. O objetivo disso é que com o fim dos processos judiciais, a categoria e a prefeitura possam negociar de forma mais efetiva.

Segundo o sindicalista houve acordo para que o parcelamento do reajuste de 13,01% em 10 vezes, condição já proposta pela categoria durante negociação, seja analisada pela categoria hoje, durante a assembleia.

Comentários

comentários