Professores com acordo aprovado receberão reajuste antes de outros servidores

Professores aprovaram greve na manhã desta terça-feira em assembleia
Professores aprovaram greve em luta pelo Piso Nacional

Os vereadores aprovaram em sessão ordinária da Câmara de Campo Grande nesta quinta-feira (19), o Projeto de Lei que concedia o reajuste aos Professores da Reme (Rede Municipal de Ensino). Os profissionais da Educação fecharam acordo na semana passada com a Prefeitura, e, como já devem ter um PL a parte dos demais servidores públicos, tiveram proposta a parte votada hoje pelos parlamentares. Os demais funcionários, inicialmente recusaram proposta votada no inicio do mês de abril e acabaram sem reajuste devido a Legislação eleitoral. Contudo, o Executivo enviou outro PL adequando índice que só pegou a inflação dos meses deste ano, que foi votado na semana. Mas, os parlamentares causaram novo “problema” ao prefeito Alcides Bernal, retornando ao aumento dos 9,57% oferecidos no mês passado.

O presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre, que acompanhou a votação e aprovação, ratificou posição e se disse satisfeito em parte com a conquista, após movimento e reivindicações da categoria, que incluiu até um pequeno período de greve. “Não vamos fazer festa, foi uma conquista que dá parte de satisfação, por termos ganho algo e conseguido o reconhecimento oficial de nossa luta e do principal que é a nossa Lei ou a legislação do país, que está sendo agora cumprida em partes. Mas, realizados e satisfeitos totalmente estaremos com a integralização e concretização dos 100% do Piso Nacional para a categoria de Campo Grande”, comentou Nobre.

Os professores teriam votado o reajuste na última quinta-feira, mas pediram para o PL ser retirado de pauta, com um índice de 2,51%, pois no dia anterior haviam fechado acordo e aceitaram o termo de reajuste com aumento pouco maior de 3,31%, proposto pela prefeitura, mas que é em cima do Piso Nacional, que deve também ser integralizado no inicio de 2017. O termo de acordo administrativo foi assinado, entre o prefeito e presidente da ACP, na tarde da quarta-feira (11). Hoje, os vereadores analisaram, em regime de urgência, o projeto de lei n. 8.274/16, do Poder Executivo, que dispõe sobre a revisão geral de remuneração dos professores da Capital.

Na última quinta-feira (12), na tribuna da Casa, o presidente da ACP, reiterou o acordo feito no dia anterior, com o prefeito Alcides Bernal, de 3,31% de reajuste, índice que não é considerado ideal pela categoria, mas contempla parte da Lei do Piso com o restante do reajuste pleiteado para o ano que vem. Ele pediu para que fosse retirado da pauta do dia e foi atendido pelo presidente da Casa, João Rocha, que inclusive anunciou ‘na hora’ que durante os discursos, chegou à Câmara a Emenda Modificativa ao PL n. 8.274/16, que estabelece o reajuste dos professores.

Comentários

comentários