Produtores aprendem técnicas de enxertia de frutíferas e seleção de abacaxi e banana com Agraer e Embrapa

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A fruticultura é uma atividade com enorme potencial de crescimento no Brasil, visto que mais e mais as pessoas têm buscado consumir alimentos naturais e, se possível, sem o uso de defensivos agrícolas. Situado em uma faixa central do mapa brasileiro, o Mato Grosso do Sul possui uma posição privilegiada em decorrência de sua posição geográfica e suas condições climáticas, hídricas e geológicas (solo), fazem do nosso estado um produtor promissor no que diz respeito a grande diversidade de frutas que podem ser cultivadas, em diferentes municípios, o ano inteiro.

Com base nesses aspectos, estão sendo promovidos capacitações em fruticultura na Tecnofam  (Tecnologias e Conhecimentos para Agricultura Familiar),desde ontem(11) até manhã (13), em Dourados.

Bem em frente à entrada do evento, por exemplo, foram posicionadas duas tendas onde estão sendo oferecidos os cursos: “Enxertia de mudas de frutíferas e outros métodos de propagação de plantas”, ministrado pelos profissionais da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), Teonília da Silva e Valdeci da Silva, e “Seleção, preparo e plantio de mudas de abacaxi e banana”, assunto abordado por Luadir Gasparotto e Ricardo Rebello (Embrapa Amazônia Ocidental) e Gilberto Macedo (Agraer).

“Na fruticultura, o produtor que queira ter uma boa produtividade é necessário ter no mínimo cinco noções: o que plantar, quando plantar, que tipo de muda plantar, observando solo e clima da região, e onde vender”, observa o palestrante Macedo.

Outra preocupação, em cada capacitação, é que o agricultor saía de lá sabendo quais cuidados deve ter na escolha e preparo das mudas. “No cultivo de banana enfatizamos tanto sobre a cultura de tecido, mudas que são multiplicadas em condições de laboratórios, como sobre a situação do pequeno produtor que, sem acesso a essa tecnologia, precisa ter ao menos um conhecimento que permita a melhor escolha de mudas a partir de plantas matrizes”, diz o pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Luadir Gasparotto.

“Muda é investimento, pois a produção de um pomar dependerá também da qualidade das mudas. Quando um produtor tem dificuldade em ter acesso a boas mudas, nós ensinamos técnicas ao produtor de modo que o mesmo possa multiplicar uma muda de abacaxi em quatro. O ideal é que se tenha acesso as mudas. Mas, em casos específicos, o produtor precisa ser criativo e conhecer alternativas”, justifica  Macedo.

Na palestra voltada as técnicas de enxertia, os produtores observam em uma bancada as diferentes etapas de manejo das mudas de espécies frutíferas. “O enxerto é a técnica que consiste em usar duas variedades da mesma espécie na produção de uma muda, o enxerto (cavaleiro/garfo) e o porta-enxerto (cavalo)”, explica Valdeci da Silva.

O garfo, cavaleiro ou enxerto é a parte de cima, que vai produzir os frutos da cultivar desejada. Enquanto que o cavalo ou porta-enxerto é a parte de baixo, que terá como funções básicas o suporte da planta, fornecimento de água e nutrientes e a adaptação do vegetal às condições do solo, clima e resistência as doenças.

Goiaba e manga são algumas das variedades utilizadas na para ilustrar os métodos de enxertia. “A técnica busca unir e aproveitar o ponto forte de duas plantas da mesma família. Com isso é possível termos plantas mais resistentes a pragas, ou que apresentem novos sabores no caso das frutíferas”, pontua Teonília da Silva durante a palestra.

Inovação

Já na capacitação sobre cultivo de banana, os pequenos produtores têm também a oportunidade de conhecer um curioso equipamento, o desperfilhador por roto compressão. “A bananeira produz grande número de perfilhos [brotos], e no crescimento, eles competem entre si. Essa disputa reduz a produção do bananal e a qualidade dos frutos. É nesse momento que entra o equipamento, sua função é remover os perfilhos que não são interessantes e deixar apenas um para cultivo”, explica Gasparotto.

Comparado à ferramenta “Lurdinha”, utilizada em todo o Brasil pelos agricultores, o desperfilhador por roto-compressão tem eficiência 20,35% maior na eliminação total dos perfilhos. Em testes realizados em área de produtores de banana em Presidente Figueiredo (AM), apenas 0,73% de uma mostra de mil (1000) perfilhos removidos com o novo equipamento voltaram a brotar. O percentual de rebrotamento com a “Lurdinha” chegou aos 22,52%.

Oficinas

Durante os três dias de Tecnofam os pequenos produtores que passarem por tendas da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) e Embrapa (Empresa Brasileira de Pecuária e Agricultura) terão a possibilidade de trocar conhecimentos com profissionais capacitados na área de fruticultura, manipulação de plantas medicinais e manejo de gado leiteiro.

A programação completa do evento pode ser visitada neste link: http://bit.ly/1SXbkez.  A inscrição é gratuita. Durante todo o dia, os participantes trocam ideias com técnicos e pesquisadores sobre diversas tecnologias nas tendas da Mostra, que ficam logo na entrada do evento; 12 tecnologias a campo, localizadas na vitrine tecnológica da Embrapa Agropecuária Oeste logo após as tendas.

De 13h30 as 16h30, os interessados podem fazer uma das cinco oficinas práticas, ao lado das tendas, com vagas limitadas e inscrições diárias a partir das 12h30 no local. Também está presente a feira de Agricultura Familiar, mostras de equipamentos e implementos agrícolas, CAR-móvel do Imasul para o cadastro ambiental rural e ações do CCZ com a Embrapa contra o mosquito Aedes aegypti.

Comentários

comentários