Produção industrial de MS retoma crescimento em novembro

O índice relativo à produção industrial sul-mato-grossense melhora no mês de novembro, conforme a Sondagem Industrial realizada pelo Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) junto às empresas estaduais. “O índice de evolução da produção industrial marcou 48,5 pontos, crescimento de 7,8% em relação a outubro.

O resultado indica que na passagem mensal houve elevação do número de empresas com crescimento na produção, porém, o índice permanece abaixo dos 50 pontos, sinalizando que para o conjunto da atividade industrial o desempenho ainda não foi positivo”, detalhou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende.

Ele destaca que em novembro 22,4% das empresas apontaram aumento na quantidade produzida, enquanto em outubro eram 13,8% nessa condição. “Além disso, 25,9% reportaram queda, contra 36,7% no último levantamento. Já as empresas com produção estável tiveram participação de 51,8% do total, contra 49,4% no mês anterior”, informou, completando que, mesmo com diminuição, capacidade ociosa segue elevada.

Para 40% dos respondentes, conforme a Sondagem Industrial, a utilização da capacidade instalada esteve abaixo do usual para o mês de novembro. “Desempenho que se refletiu no índice, com o resultado permanecendo muito abaixo do patamar considerado adequado para o período. Por fim, a ociosidade média da capacidade instalada em novembro ficou em 32%, contra 35% no mês de outubro”, destacou Ezequiel Resende.

Ele acrescenta que, entre os empresários industriais sul-mato-grossenses, ainda há expectativa de estabilidade para os próximos seis meses. “O empresário industrial de Mato Grosso do Sul acredita que nos próximos seis meses o nível de demanda por seus produtos, o número de empregados e as exportações devam permanecer estáveis. Os índices de expectativa das três variáveis marcaram 50,4, 50,4 e 51 pontos, respectivamente”, enumerou.

Com relação à demanda por seus produtos, em dezembro, 22,4% das empresas responderam que esperam aumento nos próximos seis meses, enquanto no último levantamento eram 25,3% nessa condição e 25,9% apontaram queda contra 28,7% na pesquisa anterior. Já as empresas que acreditam que o nível de demanda se manterá estável responderam por 51,8% do total, contra 46,0% no mês anterior.

Quanto ao número de empregados em dezembro 15,3% das empresas responderam que esperam aumento nos próximos seis meses, sendo que no último levantamento eram 9,3% nessa condição. Enquanto 18,8% apontaram que esse número deve cair contra 26,7% na pesquisa anterior. Já as empresas que acreditam que o quadro de funcionários se manterá estável responderam por 65,9% do total, contra 64,0% no mês anterior.

Sobre as exportações, 15% das empresas responderam que esperam aumento nas exportações de seus produtos nos próximos seis meses, enquanto no último levantamento eram 11,1% nessa condição. Outros 15% apontaram queda contra 22,2% na pesquisa anterior. Já as empresas que acreditam que suas exportações se manterão estáveis responderam por 70,0% do total, contra 61,1% no mês anterior.

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems finaliza destacando que o índice de intenção de investimento melhora em dezembro. “O índice relativo à intenção de investir do empresário industrial aumentou na passagem de novembro para dezembro com o indicador saindo de 40,8 para 46,3 pontos. Por fim, o índice de intenção de investimentos varia de 0 a 100 pontos, quanto maior o índice, maior é a intenção de investir”, pontuou.

Comentários