Presidente e diretores do Sistema Fiems entregam 21 veículos novos para Sesi, Senai e IEL

Foto Divulgação

O presidente Sérgio Longen e diretores do Sistema Fiems entregaram, na manhã desta sexta-feira (16), no estacionamento do Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), os 21 veículos 0 km adquiridos para atender às unidades do Sesi, Senal e IEL em Mato Grosso do Sul. “A renovação da frota é um investimento que evita custos excessivos com a manutenção dos veículos, além de representar nosso compromisso de oferecer aos colaboradores toda estrutura necessária para o atendimento de excelência às indústrias do Estado”, disse Sérgio Longen.

Os 21 veículos, a maioria do modelo Palio Weekend, serão distribuídos entre seis municípios do Estado, incluindo um caminhão da marca Agrale que atenderá as unidades do Senai. O presidente do Simec (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Corumbá), Lourival Vieira da Costa, destaca a economia obtida com a renovação da frota.

“Essa questão da renovação constante da frota diminui o custo de manutenção e é um investimento porque, ao invés de fazer reparos em um veículo com mais de 100 mil quilômetros rodados, custa muito mais barato fazer a troca. E é fundamental termos veículos novos para atender a demanda das empresas do interior”, disse Lourival Vieira.

O presidente do Sindimad/MS (Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Móveis em Geral, Marcenarias, Carpintarias, Serrarias, Tanoarias, Madeiras Compensadas e Laminadas, Aglomerados e Chapas de Fibras de Madeiras, de Cortinados e Estofados de Mato Grosso do Sul), Juarez Falcão, comemora o encerramento de 2016 com mais uma ação para fortalecer a indústria sul-mato-grossense. “É uma iniciativa importante para valorizar o atendimento às indústrias, o que permite o fomento do setor”, avaliou.

O diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, ressalta que além da mobilidade, os 21 veículos entregues permitirão melhorias na operacionalização dos serviços oferecidos em todo o Estado. “A política que o Sistema Fiems adotou de, ano a ano, fazer a renovação da frota possibilita mais segurança e conforto para o trabalho dos nossos colaboradores. Como o Estado é grande e os municípios são muito distantes, é essencial que tenhamos veículos em boas condições para o desenvolvimento das nossas ações nos mais diversos municípios”, disse.

Já o superintendente do Sesi, Bergon Amarilla, acrescenta que os novos automóveis possibilitam manter a excelência nos serviços de consultoria. “É de extrema importância para o Sesi renovar a frota, até para manter o atendimento às nossas propostas de consultoria às indústrias. Atendemos muitas empresas em municípios mais distantes da Capital, então nossa equipe precisa estar muito bem equipada. Temos um nome a zelar na prestação de serviços de SST (Saúde e Segurança do Trabalho), ressaltando que toda a estrutura de que pudermos dispor para atender cada melhor a indústria é importante”, finalizou.

Clube do Trabalhador

Ainda na manhã desta sexta-feira (16/12), o presidente e os demais diretores do Sistema Fiems conheceram a série de melhorias realizadas no Clube do Trabalhador do Sesi, localizado no Bairro José Abrão, em Campo Grande. Entre as obras, destacam-se a construção de um galpão para abrigar veículos das instituições que compõem o Sistema Fiems, a pavimentação asfáltica do pátio de manobra e a ampliação de um segundo galpão que conta com depósito.

“Também promovemos a limpeza de boa parte do terreno, inclusive com a demolição de pequenas estruturas antigas que estavam sem serventia. Agora, convido os diretores a refletirem sobre projetos futuros para esta área, vamos pensar em alternativas para voltar a conferir utilidade ao Clube do Trabalhador, que já trouxe tantos benefícios para os trabalhadores da indústria no Estado”, declarou Sérgio Longen.

Segundo os diretores da Fiems, Edis Gomes da Silva e Julião Flaves Gaúna, o Clube do Trabalhador foi uma das principais alternativas de lazer de Campo Grande e o desuso tornou-se um problema a ser resolvido. “A solução começou a ser dada com essa série de melhorias apresentadas pelo presidente. Agora, a questão estratégica é conferir ao espaço a destinação nobre que ele merece”, frisou Edis Gomes.

Para o presidente do Sindicom (Sindicato das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Corumbá), Alfredo Fernandes, o aproveitamento do local, que chegou a ser nulo, volta a ser feita com as obras realizadas. “O galpão será muito útil para abrigar as unidades móveis do Senai, por exemplo, mas, trata-se de uma área muito grande para ser utilizada apenas para isso. Precisamos refletir muito e encontrar uma solução que valorize o local”, analisou.

Comentários