Presidente do Conselho do Palmeiras vê Leila insatisfeita com Mattos

Lancepress/JP

Seraphim Del Grande é aliado político de Maurício Galiotte (Foto: Fabio Menotti/Agência Palmeiras/Divulgação)

De acordo com Seraphim Del Grande, presidente do Conselho Deliberativo do Palmeiras, Leila Pereira está insatisfeita com o trabalho de Alexandre Mattos. O dirigente revelou que a conselheira e patrocinadora se mostra incomodada com o desempenho do time na temporada de 2019, classificado por ele como “fracasso”.

– Estou falando há muito tempo com ela, e a opinião dela é a mesma da minha, insatisfeita, como todo conselheiro insatisfeito com a maneira que o ano foi planejado, um fracasso – afirmou Seraphim, em entrevista à rádio Globo.

Leila, via sua assessoria de imprensa, respondeu: “não interfiro em nenhuma decisão do departamento de futebol, como já disse reiteradas vezes. Sou conselheira do clube e patrocinadora e sei bem de minhas responsabilidades”.

Presidente da Crefisa e da Faculdade das Américas, Leila é uma das principais figuras da situação na política palmeirense. É, inclusive, a favorita para se candidatar à sucessão de Maurício Galiotte, na eleição de 2021.

Anteriormente, ela já fez elogios públicos a Mattos, mas o próprio Seraphim lembrou que a frase cogitando repensar investimentos no futebol caso o diretor saísse foi dita há pouco mais de dois anos, em 2017.

– Há três anos houve uma situação política no COF, e ela falou que se por acaso o Mattos saísse, ela iria rever o investimento no futebol naquela situação, não que deixaria de patrocinar o clube – acrescentou Seraphim, lembrando do episódio em que Mustafá Contursi queria a saída de Mattos.

No clube desde 2015, o diretor de futebol vive o momento de maior pressão. A Mancha Alviverde tem feito seguidas acusações contra ele, que entrou na Justiça cobrando explicações. Galiotte segue repetindo publicamente que confia no funcionário, com contrato até o fim da gestão, em 2021.

Del Grande, por sua vez, discorda do presidente quanto ao fato de Mattos alugar dois apartamentos para funcionários que tiveram no começo do ano aumento no valor do auxílio-moradia. Ainda assim, diz que não pode convocar uma reunião para o tema sem uma movimentação do Conselho Deliberativo.

– Na realidade pegou de surpresa os conselheiros, muitos acharam estranho o que aconteceu, mas o presidente deu o pronunciamento dizendo que o Palmeiras não tem nada a ver com isso, e praticamente deu o caso por encerrado. Muitos conselheiros estão reclamando, mas não posso fazer uma convocação sem assinatura de 60 conselheiros ou mil associados. Quando chegar, eu chamo – avisou.

– Acho que é uma coisa que não é normal. Ele (Galiotte) já vê de outra maneira, eu achei que sendo proprietário de dois imóveis, estou alugando para duas pessoas que são praticamente trabalham comigo e são meus subalternos, eu peço aumento para o auxílio-moradia? Estou praticamente me beneficiando – concluiu.

Comentários